Oliveira e Costa deu ordem para crédito a Pedro Lima

O financiamento do fundo imobiliário do filho de Duarte Lima, Pedro Lima, e do advogado Vítor Igreja Raposo para a compra de um conjunto de terrenos em Oeiras foi decidido directamente pelo antigo presidente do BPN, José Oliveira e Costa, contra a opinião de dois antigos administradores do banco.

É isto que resulta dos depoimentos de dois ex-gestores do BPN durante os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito à nacionalização do BPN (CPI), que tocou "ao de leve" na questão da criação e financiamento do fundo Homeland. Um dos gestores ouvidos, António Franco, até revelou aos deputados que pediu a demissão da Imofundo, entidade gestora dos fundos do BPN, na sequência deste caso.

O primeiro dos antigos administradores a contar o caso Homeland foi António Franco, que ontem não quis prestar qualquer declaração ao DN sobre o assunto. No seu depoimento, a 12 de Fevereiro de 2009, António Franco recordou aos deputados os motivos que o levaram a pedir a demissão da Imofundos. Falando de uma "operação que foi posta através da rede do BPN", na qual "um cliente que pretendia constituir um fundo, e, para constituir o fundo, pretendia que o BPN lhe emprestasse um montante que era de dez milhões".

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG