Advogado diz que Vítor Raposo se entregou voluntariamente

O advogado do empresário Vítor Raposo afirmou hoje que o seu cliente se entregou voluntariamente às autoridades quando regressou da Guiné-Bissau, continuando hoje o seu interrogatório no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa.

Paulo Sá e Cunha falava aos jornalistas no momento em que entrava no tribunal, onde Vítor Raposo, sócio do filho de Duarte Lima, já se encontrava para continuar a ser interrogado pelo juiz Carlos Alexandre.

O facto de ter regressado da Guiné-Bissau e de se ter entregado às autoridades poderá excluir o perigo de fuga, um dos pressupostos para a prisão preventiva.

Vítor Raposo, que foi deputado do PSD entre 1991 e 1995, começou segunda-feira a ser ouvido a propósito de um caso que envolve a compra de terrenos em Oeiras, com dinheiro do BPN, processo que levou à prisão preventiva de Duarte Lima.

Quinta-feira, dia em que Duarte Lima e o seu filho Pedro Lima foram detidos em Lisboa, Vítor Raposo encontrava-se na Guiné Bissau e garantiu, à Agência lusa, que estava disponível para esclarecer o seu alegado envolvimento num negócio de compra de terrenos em Oeiras.

O empresário é um dos arguidos visados pela investigação do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), num caso que envolve suspeitas de burla, branqueamento de capitais e outros ilícitos.

O caso em investigação envolve mais de 40 milhões de euros cedidos pelo BPN e está relacionado com a compra de terrenos em Oeiras, para instalar o Instituto Português de Oncologia, projecto que não se concretizou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG