Amália voltou a ser rainha no areal de Moledo

A fadista tem estado em destaque nas praias a norte. Irmãos, primos, amigos, a competição saudável entre artistas

Com a ínsua de Caminha e o monte galego de Santa Tecla de fundo, a areia de Moledo serviu de inspiração a dezenas de artistas de palmo e meio e Amália Rodrigues, tal como logo ao lado, em Vila Praia de Âncora, voltou a estar em destaque, ontem, no fecho das Construções na Areia antes da grande final no dia 3 de Setembro (ver caixa).

A fadista foi mesmo a vencedora do dia, repetindo, com novos protagonistas, a vitória do dia anterior, na primeira praia do Alto Minho. Por entre sereias, peixes, golfinhos e castelos, a manhã em Moledo, Caminha, juntou famílias completas, de um lado e do outro. Foi o que aconteceu com os primos Rocha, que arrecadaram os dois primeiros lugares da Classe B. "É um desafio entre nós", comentava Juliana, que este ano ficou em segundo.

Ao lado, Carol, de 9 anos, virava-se para trás e alertava o amigo Jorge: "Olha, o meu Mexicano já está pronto. Despacha-te." O amigo não respondeu, entretido com a sua "obra", mas já o irmão de Miguel, de balde nas mãos, seguia o caminho e terminava, antes do tempo, a sua construção do galo de Barcelos.

Um convívio entre famílias inteiras que também se faz de fora para dentro. E vice-versa: "Vocês estão aí fora sempre a mandar palpites, mas só me atrapalham", afirmava, para os pais, o Gerson Sousa, de 12 anos. Depois de concluía o seu golfinho, explicava melhor a razão do protesto. "Para quem está fora é fácil mandar."

Faltavam dez minutos para acabar o tempo e, de repente, Tó ergue-se da areia com a bandeira na mão: "Acabei mãe", gritava António, satisfeito por ter concluído as suas três tartarugas. "É o pai, a mãe e o filho", comentava o pai de António.

Mais Notícias