Passos recusa ideia de "saladas russas" no Governo

O líder do PSD disse hoje, segunda-feira, que quem pensa que depois das eleições todos os partidos se terão de entender e ir todos para o Governo está "muito enganado", recusando a ideia de "saladas russas" ou de "miscelâneas".

"Estas eleições serão decisivas, aqueles que pensam que depois das eleições nos temos todos de entender e de irmos todos para o Governo estão enganados. O que o país precisa não é de saladas russas nem de miscelâneas, é de decisão", afirmou o líder social-democrata, durante um jantar de pré-campanha em Torres Vedras.

Já com a voz rouca, Passos Coelho deixou ainda uma garantia, prometendo que caso votem no PSD, há uma coisa que os portugueses não irão arriscar: "acordar" com o PS no Governo.

"Todos aqueles que votarem no PSD podem ter a certeza que no dia a seguir às eleições há uma coisa que não arriscam: é terem um Governo diferente daquele que julgaram ter escolhido, porque quem votar no PSD não vai acordar com o PS no Governo a seguir às eleições", frisou.

A menos de uma semana do arranque oficial da campanha eleitoral para as eleições de 05 de Junho, o líder social-democrata deixou ainda o aviso de que já não se está em altura de "desperdiçar votos", porque o país precisa de um "Governo forte".

No dia em que os ministros das Finanças da União Europeia aprovaram o pedido de ajuda externa a Portugal, Passos Coelho começou precisamente o seu discurso por esse tema, considerando que esta é "a última oportunidade que Portugal tem para poder cumprir o programa de mudança económica e de mudança social em Portugal".

Por isso, e sendo esta a "última oportunidade", acrescentou, "grande aventura era confiar a execução desse programa em quem já falhou na execução de todos os programas em Portugal".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG