Vitorino pede votos dos "descontentes com este PSD"

O ex-dirigente socialista António Vitorino dirigiu-se hoje aos sociais-democratas "descontentes" com o actual PSD, dizendo que esses, que partilham com o PS o ideal reformista, não podem deixar de ficar chocados com o dogma do privado.

António Vitorino pediu esta noite os votos dos sociais-democratas "desiludidos com este PSD", desde logo "aqueles que estiveram connosco no Bloco Central e que não podem deixar de se sentir embaraçados quando até o CDS de Paulo Portas se diz à esquerda do PSD nas políticas sociais". Pediu-lhes o voto e a "convergência nacional de que o país precisa para ultrapassar a crise" - um apelo que já parece destinado ao pós-eleições.

Mas foi na resposta a Passos, que pediu o voto dos socialistas descontentes, que Vitorino começou o repto. "Ontem, o líder do PSD decidiu fazer um apelo aos socialistas descontentes. Não levará a mal que nos dirijamos em especial os sociais-democratas desiludidos com este PSD, que verão com tristeza e desencanto o radicalismo neo-liberal do PSD. Chocados com o dogma deste PSD: tudo o que é privado é bom, tudo o que é público é mau."

Falando de um PSD que se une "quando cheira a poder, mas rapidamente volta a tornar-se no verdadeiro saco de gatos" que diz ser, o ex-comissário europeu também se dirigiu aos que se sentem de esquerda. "Sabemos que alguns podem estar até descontentes connosco, mas cada um que se diz de esquerda tem que decidir se prefere o voto de protesto que se esgota no momento da votação ou se deve contribuir para uma alternativa de mudança para Portugal liderado pelo PS", para não "abrir o caminho do poder para a direita mais radical."

Quanto ao PS, Vitorino disse que "todos estão neste combate". E sobre o pós-eleições, deixou o mais importante recado: "Só o diálogo, o entendimento e a convergência" pode permitir "cumprir o compromisso" firmado com o FMI.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG