PSD e CDS-PP querem que Rui Pereira se demita

PSD e CDS-PP exigiram hoje, terça-feira, o apuramento de responsabilidades políticas pelos problemas que impediram muitos eleitores de votar no domingo, com o ministro Rui Pereira a remeter quaisquer conclusões para depois dos resultados do inquérito. Ambos os partidos já pediram a demissão de Rui Pereira.

O líder parlamentar do PSD, Miguel Macedo, disse que "foram milhares" os cidadãos afectados pelas dificuldades em obter o novo número de eleitor, e considerou que o dia da eleição presidencial "ficou marcado por uma incompetência deplorável" por parte do Governo. Ressalvando que não pedia a demissão de Rui Pereira, Miguel Macedo exigiu o apuramento de responsabilidades políticas. Miguel Macedo acrescentou "registar o facto de que em qualquer país civilizado" problemas idênticos levariam à demissão do responsável.

O secretário-geral do PSD, Miguel Relvas, vai mais longe e disse que "como cidadão" esperava que o ministro da Administração Interna já tivesse pedido a demissão do cargo, depois de "milhares" de eleitores não terem conseguido votar nas presidenciais de domingo. "Esperava como cidadão que o senhor ministro já tivesse apresentado a demissão. Como agente político esperava que o Governo já tivesse tomado uma decisão e que o primeiro-ministro já tivesse tomado a única decisão possível, numa circunstância como esta no apuramento de responsabilidades", afirmou Miguel Relvas.

O deputado do CDS-PP Nuno Magalhães exigiu igualmente que o ministro retire conclusões políticas sobre o que se passou, sugerindo que, se não houver respostas a várias perguntas que colocou, "o melhor é o ministro sair". Nuno Magalhães defendeu que o aumento de número de eleitores com cartão do cidadão, de um milhão nas eleições de 2009 para 4,4 milhões em 2011, justificaria o envio de cartas aos cidadãos a "pormenorizar o local da votação".

 

Mais Notícias

Outras Notícias GMG