Paulo Portas quer julgamentos rápidos e autoridade para as forças policiais

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, manifestou hoje preocupação face à "multiplicação de incidentes de segurança" e defendeu leis penais que garantam julgamentos rápidos e autoridade às forças policiais.

"Queria expressar a minha preocupação com a multiplicação de incidentes de segurança que já não aconteceram ontem pela primeira vez, aconteceram também na margem sul e eu já na altura chamei a atenção para a multiplicação de incidentes de segurança onde a autoridade das forças policiais foi posta diretamente em causa", afirmou aos jornalistas, no final da conferência "União Europeia e a Política Fiscal", que decorre no Centro Cultural de Belém.

O líder do CDS-PP referia-se aos desacatos ocorridos segunda-feira em Odivelas, na sequência dos quais pelo menos oito pessoas foram detidas.

Para o Paulo Portas, "não é aceitável num Estado de Direito" que continuem a registar-se "incidentes de segurança" que ponham em causa a autoridade das forças policiais.

"Nós precisamos, em matéria de segurança, de garantir que o que é crime em flagrante delito é julgado imediatamente. E precisamos de garantir que as forças de segurança têm autoridade", defendeu.

O presidente do CDS-PP defendeu a necessidade de leis penais que "tornem muito claro que quem provoca desacatos e quem incita à violência e quem comete crimes paga por isso".

Pelo menos oito pessoas foram detidas na sequência dos desacatos registados na noite de segunda-feira em Odivelas.

Segundo a PSP, no início dos desacatos esteve a tentativa de identificação e detenção de um homem suspeito de roubo e que resistiu às autoridades.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG