Revolução inicia redefinição da ordem internacional

Passaram 35 anos, 420 meses, 1826 semanas, 12784 dias ou 306 816 horas. Este é o tempo de liberdade que Portugal já viveu desde a Revolução dos Cravos, a 25 de Abril de 1974. Não demoraria 20 anos para mudar o mundo.

Independentemente da carência de direitos, da perseguição política, da PIDE, da censura e da pobreza e analfabetismo em que os portugueses viviam, papel fundamental para a Revolução de Abril teve, sobretudo, a necessidade de independência dos Estados africanos, ex-colónias portuguesas e a guerra colonial que durou 13 anos em 40 de ditadura.

O fim do regime imposto por António de Oliveira Salazar, em Portugal, aconteceu num contexto de redefinição da ordem internacional, constituindo um elemento identificador do fim do sistema dos dois grandes blocos.

Vivia-se num mundo dividido entre a União Soviética e os Estados Unidos, ou seja, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) face ao Pacto de Varsóvia. Essa divisão não durou mais duas décadas. A 31 de Março de 1991, foi extinto o Pacto de Varsóvia.


 

Mais Notícias