"Ela foi a melhor mãe do mundo"

No dia dos dez anos da morte de Diana, uma cerimónia reuniu em Londres a família real e cerca de 500 convidados para prestar tributo à mulher “divertida, generosa e inteiramente genuína” que foi a princesa de Gales.

Num discurso carregado de emoção e sentimento, o príncipe Henry, o filho mais novo de Diana, descreveu-a como a “melhor mãe do mundo”, durante o serviço memorial do décimo aniversário da morte da princesa. Falando em seu nome e do irmão mais velho, William, o príncipe disse que a morte de Diana foi indescritivelmente chocante e triste”, mudando as suas vidas para sempre. “Quando estava viva, assumimos como garantido o seu amor pela vida, as suas gargalhadas, alegria e boa disposição”, disse Henry (popularmente conhecido por Harry) e acrescentou que ela era “guardiã, amiga e protectora” de ambos. O príncipe, que tinha 12 anos quando a mãe morreu, afirmou ainda que ele e o irmão pensam “nela todos os dias”, falam sobre ela e riem “juntos das memórias dela”. “Queremos que se lembrem de Diana como ela era: divertida, generosa e inteiramente genuína”, disse Henry.


Os príncipes escolheram a Capela dos Guardas (Guards’ Chapel) em Westminster, no centro da capital britânica. O sítio fica próximo da abadia de Westminster, onde se realizou o funeral de Diana, e do Palácio de Buckinhgham, onde a princesa beijou o príncipe Carlos no casamento real, presenciado por uma multidão em euforia. Após o discurso de Henry, que levou às lágrimas muitos dos presentes, o bispo de Londres, o reverendo Richard Chartres fez um discurso, no qual definiu a data como o “ponto em que Diana deve descansar em paz”. A Rainha, o príncipe de Gales e a família de Diana, os Spencer, juntaram-se aos 500 convidados, para celebrar a existência da princesa, que perdeu a vida a 31 de Agosto de 1997.

Depois da cerimónia, William e Henry acompanharam o pai, a Rainha e o duque de Edimburgo aos carros. No momento, presenciado por uma multidão, os príncipes despediram-se com boa disposição dos convidados à porta da capela e Henry terá mesmo trocado uma piada com as suas primas, as princesas Eugenie e Beatrice. O dono dos armazéns Harrod’s, Mohammed Al Fayed, pai de Dodi (que morreu com Diana em Paris), observou dois minutos de silêncio na sua loja.


Al Fayed permaneceu em frente da estátua de bronze de Diana e de Dodi, acompanhado por clientes e funcionários. No final do tributo, Al Fayed, que mantém ter havido uma conspiração para matar os dois, foi aplaudido pelos presentes. Ele não foi convidado para o tributo oficial mas a sua filha Camilla representou a família. No exterior do palácio de Kensington, última residência de Diana, milhares de pessoas passaram durante o dia para deixarem flores, postais e lembranças. Outro tributo foi realizado na residência da família Spencer em Althorp, a norte da capital, onde Diana está sepultada numa ilha. No resto do país, houve ainda serviços memoriais em muitas cidades.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG