Presidência portuguesa abre Cimeira UE-Brasil

A presidência portuguesa da União Europeia vai institucionalizar uma nova cimeira bilateral na agenda dos 27: Brasil. A iniciativa, que representa uma aposta de Portugal, deverá ocorrer a 4 de Julho e vai trazer o Presidente Lula a Lisboa, conferindo ao Brasil um estatuto idêntico ao da Índia, Rússia e China, com os quais a UE se reunirá também durante o semestre da presidência portuguesa , que começa a 1 de Julho.

Na agenda da cimeira UE-Brasil deverão estar temas como a energia e o aprofundamento das relações comerciais, pondo termo a um longo contencioso com Brasília, que se queixa de estar a ser discriminada pelas relações preferenciais que os 27 têm vindo a desenvolver com os países asiáticos. Quer no quadro das cimeiras bilaterais com a Índia, China e Japão, quer no âmbito da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Para a concretização desta cimeira com o Brasil, que já é um convidado regular das reuniões alargadas do G8, terão sido essenciais os esforços diplomáticos empreendidos por alguns Estados da UE, entre os quais a Alemanha, Itália e Espanha, além de Portugal.

Com esta decisão, a UE completa também o ciclo das cimeiras institucionais com os chamados BRIC, nome que designa os países com economias emergentes: Brasil, Rússia, Índia e China.

Na sua qualidade de presidente em exercício do Conselho da UE, o primeiro-ministro, José Sócrates, irá receber, assim, os presidentes do Brasil e da Rússia em Lisboa, deslocando-se à Índia e à China.

Na agenda da presidência portuguesa da União Europeia está ainda prevista a realização da Cimeira UE-África, tema que tem sido ensombrado pelas sanções ao Zimbabwe.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG