Maduro assume poder oito horas após funeral de Chávez

Nicolás Maduro, vice-presidente da Venezuela, de 50 anos, vai hoje prestar juramento como presidente interino da Venezuela. A cerimónia terá lugar na Academia Militar, em Caracas, oito horas após o funeral de Hugo Chávez. O homem que durante 14 anos governou a Venezuela, morreu na terça-feira à tarde (noite em Lisboa), vítima de cancro, aos 58 anos de idade.

"Queremos convocar uma sessão especial para o juramento do companheiro Nicolás Maduro como Presidente interino da República", declarou Diosdado Cabello, presidente do Parlamento venezuelano, ao canal estatal de televisão.O também número dois do PSUV, partido de Chávez, precisou que a cerimónia, está marcada para as 19.00 (23.30 em Lisboa) na Academia Militar de Caracas.

Nesse mesmo local está a ser velado o corpo de Chávez, cujo funeral se realiza hoje pelas 11.00 locais (15.30 em Lisboa) na presença de pelo menos 22 chefes do Estado e do Governo e chefes da diplomacia de 54 países.

Paulo Portas, ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, já se encontra em Caracas, segundo noticiou a agência Lusa, para representar o país no funeral.

Dilma Rousseff e Lula da Silva, atual e ex-presidentes do Brasil, deslocaram-se ontem à Academia Militar para prestar uma última e sentida homenagem a Hugo Chávez.

Também o Presidente do Irão, Mahmud Ahmadinejad, já chegou à capital da Venezuela. Ahmadinejad tinha em Chávez um dos seus poucos aliados na América Latina e a nível mundial.

Maduro, que agora sucede a Chávez, parece querer manter um certo culto da personalidade à volta do ex-chefe do Estado, tendo anunciado ontem que ele "vai ser embalsamado, como Ho Chi Minh, como Lénine, como Mao Zedong".

O mundo espera agora para ver o que vai fazer Maduro com o poder e qual o desfecho das próximas eleições presidenciais na Venezuela.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG