Karadzic esqueceu-se do portátil à beira da estrada

Foi encontrado o rasto de Mladic, o general sérvio acusado de genocídio

A polícia sérvia anunciou ontem ter encontrado uma mala contendo um computador portátil e 55 CD que deverão pertencer Radovan Karadzic, líder dos sérvios da Bósnia acusado de crimes contra a Humanidade e detido há duas semanas. O computador vai ser sujeito a análises para confirmar as suspeitas, acrescentaram as autoridades. A mala foi descoberta numa estrada de Batajnica, um subúrbio no Norte de Belgrado, onde o líder sérvio foi detido no final de Julho, após 13 anos em fuga.

Karadizc, que está a aguardar julgamento em Haia, já tinha exigido, pela voz do seu advogado, a restituição do computador. Segundo ele, a mala que continha o portátil estava em posse das autoridades desde o dia em que foi capturado. O líder dos sérvios da Bósnia disse perante o tribunal que foi "raptado" no dia de 18 Julho, três dias antes do anúncio oficial da detenção pela polícia sérvia.

O seu advogado acusou ontem as autoridades sérvias de mentirem sobre o computador. "O saco foi descoberto no dia 18 de Julho quando Radovan [Karadzic] foi preso. Nem mesmo uma criança acredita na história que as autoridades inventaram."

Depois de ter detido Karadzic, a polícia sérvia está agora a seguir o rasto do seu braço direito, Ratko Mladic, o líder militar dos sérvios da Bósnia acusado de genocídio pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) para a ex- Jugoslávia .

O presidente do Conselho Nacional de Cooperação com o TPI, Rasim Ladjic, disse segunda-feira à revista Der Spiegel ter informações que Mladic esteve escondido em três edifícios militares e vários apartamentos em Belgrado, entre 2002 e 2005.

Os esconderijos do general eram conhecidos por alguns militares sérvios, mas estes "guardaram o segredo com medo de ameaças ou, muitos outros, por convicção," disse o responsável sérvio.

O anúncio surgiu um dia antes de ter sido descoberta mais uma vala comum na Bósnia onde estarão sepultados os cadáveres de algumas dezenas das oito mil pessoas mortas no massacre de Srebrenica, do qual Mladic é considerado responsável.

Mladic está em fuga há dez anos. A antiga porta-voz do Tribunal de Haia, Florence Hartmann, lembrou segunda-feira que tempo corre a favor do general sérvio já que o mandato do TPI termina em 2009. "Se Mladic não for presente a tribunal até ao final de 2009, poderá nunca mais será julgado," disse Hartman.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG