Obama troca campanha por dois dias ao lado da avô que está doente

"O maior erro da minha vida", disse Barack Obama em 2004 ao jornal Chicago-Sun-Times, "foi não ter estado ao lado da cama da minha mãe quando ela morreu. (...) Ela estava no hospital. Não sabíamos quanto tempo ia aguentar. Eu não cheguei a tempo". A memória da trágica morte da sua mãe, com apenas 53 anos, terá contribuído para a decisão do candidato democrata de suspender a campanha hoje e amanhã.


A menos de duas semanas da eleição, Obama deixou os estados do Midwest, onde se trava a batalha decisiva, e rumou ao Havai para visitar a avó materna, de 85 anos, que se encontra gravemente doente. Madelyn Dunham foi uma figura que marcou a vida de Obama . A avó, a quem o candidato chama Toot, recolheu-o quando o pai queniano o abandonou e educou-o. No seu discurso de aceitação da nomeação democrata, Obama contou que a sua avó começou como uma secretária sem diploma universitário e chegou a vice-presidente de um banco. "Foi ela quem me ensinou o valor do trabalho. Ela deixou de comprar um carro novo e um vestido para que eu pudesse ter uma vida melhor. Ela deu-me tudo o que tinha para dar. Esta noite também é dela."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG