Sinal da transferência da vida da Igreja para hemisfério sul

O bispo do Porto, Manuel Clemente, considerou hoje que a eleição do novo papa, o cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, "é um sinal bonito, importante e coincidente" da transferência da Igreja Católica para o hemisfério sul.

Manuel Clemente considerou que "esta saída do papado da Europa para a América Latina (...) acerta o ritmo da Igreja com o ritmo do mundo".

O prelado destaca que o facto de o novo papa ser oriundo da Argentina revela o que se tem vindo a acentuar "e que é óbvio, a deseuropeização da Igreja", expressando a convicção de que "esta transferência para a América Latina" será também "em benefício da Europa".

Manuel Clemente salientou o trabalho de Jorge Mário Bergoglio "na província eclesiástica a que presidia até agora em Buenos Aires", considerando-a "inovadora na pastoral, com a religiosidade popular e com este ambiente de novos movimentos religiosos".

O bispo do Porto é da opinião de que o cardeal-arcebispo de Buenos Aires "tem sido muito perspicaz" no seu ministério e destacou a surpresa na escolha do nome de Francisco.

A verdade é que "precisamos muito dele [Francisco] agora, quer na Igreja, quer neste mundo".

O cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio, foi hoje eleito papa pelos 115 cardeais reunidos em Roma, assumindo o nome de Francisco I.

Na sucessão de Bento XVI, a escolha do jesuíta de 76 anos acabou por surpreender os especialistas, já que não era dos mais novos do colégio cardinalício e será o primeiro papa latino-americano.

Francisco I sucede a Bento XVI e será o 266.º papa da Igreja Católica.

Mais Notícias