Metade dos franceses querem regresso de Strauss-Khan

Quase metade (49 por cento) dos franceses diz-se a favor de um regresso de Dominique Strauss-Kahn à vida política, face aos 45 por cento que estão contra, indica uma sondagem publicada hoje pelo "Le Parisien".

A mesma sondagem, da Harris Interactive, mostra que a proporção é maior entre os simpatizantes da esquerda, onde 60 por cento está a favor do regresso de Strauss-Khan e 38 por cento contra, e ainda ligeiramente maior entre os que se definem como votantes socialistas.

Ainda assim, apenas 43 por cento dos socialistas querem alterar o calendário das primárias do seu partido, que obriga os eventuais candidatos a apresentarem-se antes do próximo dia 13 de julho, contra 49 por cento que pensam o contrário.

Após a reviravolta no processo contra o ex-director geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), o debate político na França centra-se num eventual regresso de DSK para tentar ganhar as eleições presidenciais de 2012.

A próxima presença de Strauss-Kahn no tribunal federal norte-americano que o acusou de agressão sexual a uma empregada de hotel ocorre a 18 de Julho, cinco dias depois de terminar o prazo oficial para apresentar-se às primárias socialistas em França. DSK ainda não tem autorização para sair do território norte-americano.

Os candidatos François Hollande, ex-líder do Partido Socialista (PS), e Ségolène Royal, ex-candidata presidencial, manifestaram-se dispostos a alargar o calendário para que DSK possa candidatar-se.

Por seu lado, Martine Aubry, também candidata às primárias do PS, ainda não se pronunciou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG