O pacifista israelita que foi preso por falar com Arafat

O campo da paz em Israel está de luto: uma das suas vozes mais autorizadas - senão a mais - silenciou-se, quarta-feira à noite, no hospital de Ichilov em Telavive. O homem que, em 1973, criou a rádio Voz da Paz para falar aos povos do Médio Oriente era, ontem, alvo de homenagem por parte das mais diversas personalidades em Israel . Shimon Peres, Presidente israelita, considerou Abie Nathan como "um grande guerreiro contra a guerra, a pobreza e a discriminação. (...). Foi o maior conquistador de corações e um homem de fé num tempo em que não havia nenhuma". Para o primeiro-ministro, Ehud Olmert , Nathan "amava a vida, a humanidade e a paz". Gideon Levy, o articulista do jornal Haaretz, considera-o "o último dos sonhadores da paz" e diz que ele terá sido, talvez, o "único israelita que experimentou sentimentos de culpa pelo que aconteceu em 1948". Mais. Levy vai ao ponto de o considerar "a nossa Madre Teresa".


Mas quem foi, afinal, este homem? Abraham Jacob Nathan nasceu a 29 de Abril de 1927 no Irão, foi educado na Índia e integrou a Força Aérea britânica. Em 1948, imigrou para Israel , para o defender durante a Guerra da Independência como piloto da Força Aérea. Décadas depois, lança-se em conquista da paz: em 1966, usa um monomotor para voar até ao Cairo e tentar convencer o então presidente Nasser a fazer a paz com Israel . Nasser não o recebe e os egípcios devolvem-no cortezmente. Um ano depois, Nathan repete a proeza mas a única coisa que consegue é 40 dias de prisão em Israel por "contactos com o inimigo". Idêntica sorte o espera quando se encontra com o então líder da Organização da Palestina (OLP), Yasser Arafat. Aliás, nos anos 70 faz várias vezes greve de fome para tentar forçar Israel a fazer a paz com o Egipto e estabelecer o diálogo com a OLP. Durante uma dessas greves de fome, acredita que irá morrer, daí que decida comprar campa e lápide; quando lhe perguntam o que quer lá inscrito limita-se a responder "Nissiti", ou seja, "Eu tentei".


Em 1973, Nathan, céptico perante a acção dos políticos, compra um pequeno barco - que John Lennon ajudou a pagar - no qual monta uma estação de rádio. A Voz da Paz , no "Barco da Paz", emite a partir do Mediterrâneo para todo o Médio Oriente. Música pop, mensagens pacifistas e notícias, não censuradas, chegam a todos, muita vez pela voz de Nathan, com leve sotaque indiano. Mas antes de se "ancorar" no Mediterrâneo, Nathan levou a sua defesa da paz junto de muitas personalidades, entre as quais o papa Paulo VI, Robert Kennedy, Jean-Paul Sartre e Bertrand Russell.


Nathan era também o primeiro a ajudar num momento de tragédia: Biafra, Camboja, Nicarágua, Líbano e Zaire foram outros tantos locais onde fez chegar a sua ajuda.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG