Rede da Al-Qaeda treinou dois dos terroristas de Londres

Circulavam ontem na Internet detalhes inéditos sobre o vídeo onde Shahzad Tanweer, um dos kamikazes dos atentados de Londres de 7 de Julho de 2005, justifica a sua motivação para lançar a acção suicida. Certas passagens tinham sido difundidas esta semana pela cadeia de televisão em língua árabe, Al Jazeera. Sabe-se que o documento tem um máximo de cinco semanas e que a Al-Qaeda tencionou exibi-lo no aniversário dos mortíferos ataques em solo britânico.

O elemento mais importante das novas revelações inclui uma passagem onde se ouve o número dois da Al-Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri, a afirmar que Shahzad Tanweer e Mohammed Sidique Khan foram treinados em campos da Al-Qaeda no Paquistão. Sidique Khan era o provável líder do comando suicida.

"Ambos procuravam o martírio e desejaram poder realizar uma operação de martírio", diz al-Zawahiri, numa alusão aos dois jovens, britânicos de origem paquistanesa que viviam no norte da Inglaterra. O chefe terrorista não refere expressamente a passagem de Tanweer e Sidique Khan por um campo de treino, mas afirma que ambos "regressaram à Grã-Bretanha, onde ensinaram aos seus irmãos o que tinham aprendido e onde planearam, com a ajuda de Deus, o seu ataque bem sucedido".

Estas afirmações confirmam a suspeita da polícia britânica, que logo após identificar os autores dos atentados percebeu que dois deles tinham passado pelo Paquistão e contactado com madrassas (escolas corânicas). Na altura, não havia provas de contactos entre os dois jovens e a Al-Qaeda, mas os factos levaram o Governo paquistanês a rever o sistema escolar. As revelações incluem declarações de outro alto dirigente da Al-Qaeda, um americano de 27 anos, convertido ao Islão, chamado Adam Gadahn, que as autoridades dizem ser o "propagandista" da organização.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG