Setor da restauração reclama redução do IVA

Cerca de 700 empresários e trabalhadores da restauração manifestaram-se hoje junto à Assembleia da República para reivindicarem a reposição do IVA do setor nos 13 por cento.

Esta ação de protesto foi a primeira de um conjunto de iniciativas com as quais os empresários do setor pretendem sensibilizar o poder político para a sua situação económica resultante do aumento do IVA para os 23 % no início deste ano.

O movimento empresarial da restauração que organizou a concentração tem agendadas para sexta-feira audiências com o Presidente da República, com os grupos parlamentares e com a comissão parlamentar de orçamento e finanças.

As iniciativas terminam dia 24 com a discussão no Plenário da Assembleia da República de uma petição com cerca de 34.000 assinaturas pela redução do IVA para a taxa intermédia.

O Presidente da ARESP, presente na concentração, disse à agência Lusa que o aumento do IVA poderá causar a falência de mais 28.000 empresas em 2013.

"Ou o Governo resolve esta situação, repondo o IVA nos 13%, ou vamos ter no final de 2013 mais 28.000 empresas falidas e mais de 68.000 postos de trabalho destruídos", afirmou.

A ARESP estima que a subida do IVA leve ao encerramento, em 2012 e 2013, de 40 mil empresas e ao desaparecimento de 100 mil postos de trabalho.

"Pedimos que o IVA baixasse logo no início de 2012, não o fizeram e o nosso setor não aguentou, mas o pior ainda vem aí, ainda este ano, com o pagamento do terceiro trimestre do IVA, o que vai acontecer agora em novembro", disse o dirigente da ARESP.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG