José Manuel Rodrigues diz que para Ribeiro e Castro é "mais importante quebrar disciplina para manter feriado"

O líder do CDS/PP-Madeira afirmou hoje que as críticas do deputado Ribeiro e Castro ao anúncio da decisão do voto contra o Orçamento de Estado mostram que para ele "é mais importante quebrar a disciplina partidária para manter um feriado".

José Manuel Rodrigues reagia às declarações do ex-líder e deputado popular na Assembleia da República Ribeiro e Castro considerando que a posição da direção regional do partido indicando ao representante da Madeira na Assembleia da República para votar contra a proposta de OE2013 é "um ataque de jardinismo".

"Limito-me a dizer que para o dr. Ribeiro e Castro, eventualmente é mais importante quebrar a disciplina partidária para manter um feriado do que quebrar a disciplina partidária para defender um conjunto de compromisso que assumimos, o CDS, perante os portugueses a propósito do OE e da carga fiscal em Portugal", disse o líder popular insular.

Recordou que aquando da discussão e votação do Código de Trabalho, Ribeiro e Castro quebrou a disciplina de voto "por causa do feriado de 01 de dezembro".

José Manuel Rodrigues anunciou domingo, depois da reunião da comissão política regional do partido que decorreu este fim de semana, que se demitia da vice-presidência do CDS nacional e que o deputado centrista madeirense à Assembleia da República, Rui Barreto, vai votar contra o Orçamento do Estado para 2013.

Ribeiro e castro considerou que esta atitude é "um ataque de "jardinismo'".

"É uma quebra de solidariedade com problemas do país, parece uma visão não estritamente regional, mas até paroquial. É tudo aquilo que ao longo de anos nos habituámos a criticar no "jardinismo', disse, comparando a posição do CDS/Madeira à do presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim (PSD).

O deputado democrata-cristão reclamou uma reunião "urgente" da comissão política do CDS-PP e considerou que esta é uma questão que "antes de ser disciplinar é política".

A direção do grupo parlamentar do CDS-PP admitiu a abertura de um procedimento disciplinar aos deputados que desrespeitarem o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado, tal como preveem os estatutos e regulamentos.

Em comunicado, sublinhou que tal como não compete à direção nacional do CDS definir o sentido de voto do CDS-PP/Madeira no Parlamento Regional, não compete à direção Regional do CDS-PP/Madeira definir o sentido de voto sobre o Orçamento de Estado no plano nacional.

"O grupo parlamentar do CDS na Assembleia da Republica respeita a liberdade de expressão e de opinião, mas nas matérias essenciais já citadas atua de forma una e sem exceções", refere, lembrando que é o que determinam os estatutos e os regulamentos do partido "que são do conhecimento daqueles que aceitam ser candidatos" pelo CDS.

"O eventual desrespeito destes princípios, desde sempre consensuais no partido, por qualquer membro do grupo parlamentar do CDS conduz natural e legalmente ao desencadear do competente procedimento disciplinar", conclui.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG