Ouvidas duas testemunhas de Rui Pedro Soares

O caso Taguspark foi investigado pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, na sequência de uma certidão extraída do processo Face Oculta, onde foram escutados alguns dos intervenientes no caso.

A fase de instrução do processo Taguspark começou hoje, com a audição de duas testemunhas arroladas pelo arguido Rui Pedro Soares, administrador não executivo do pólo tecnológico de Oeiras, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

De manhã, a juíza do terceiro juízo do TIC ouviu o administrador da PT Carlos Duarte e o técnico da Portugal Telecom Orlindo Santos. Da parte da tarde está previsto serem ouvidas as testemunhas Manuela Botelho, secretária-geral da Associação de Anunciantes, e Jorge Sá, da empresa Aximagem.

Rui Pedro Soares, ex-administrador da PT, Américo Thomatti, presidente da comissão executiva do Taguspark, e João Carlos Silva, administrador da Taguspark, são acusados de corrupção passiva para acto ilícito num contrato entre a empresa e o ex-futebolista Luís Figo. A fase de instrução serve para um juiz decidir se os arguidos vão a julgamento.

Em causa estão contrapartidas que a PT e a Taguspark terão dado, por intermédio do ex-administrador Rui Pedro Soares, a Luís Figo para este apoiar a campanha de José Sócrates a primeiro-ministro nas legislativas de Setembro de 2009. Luís Figo negou várias vezes ter recebido qualquer quantia para apoiar publicamente o atual primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG