Empresa de Godinho comprou corvetas para desmantelar por 1,6 ME

Uma empresa de que é sócio Manuel Godinho, principal arguido do processo "Face Oculta", formalizou na terça-feira a compra de duas corvetas da Marinha portuguesa para serem desmanteladas, disse hoje um porta-voz da Armada.

As corvetas "Honório Barreto" e "Augusto Castilho", construídas no início da década de 1970, foram vendidas por 1,6 milhões de euros, acrescentou à agência Lusa o comandante Alexandre Fernandes. A empresa RAPLUS apresentou uma proposta superior aos restantes participantes no concurso público promovido pela Marinha, mas a diferença de verba "foi mínima", acrescentou o oficial, que não soube especificar o valor que foi pago a mais pelo vencedor em relação ao segundo classificado no concurso.

O porta-voz esclareceu que o sucateiro Manuel Godinho é sócio minoritário na RAPLUS e garantiu que foram cumpridas todas as regras dos concursos públicos promovidos pelo Estado, incluindo os registos criminais dos membros dos órgãos sociais das empresas concorrentes. A documentação exigida e entregue inclui certificados de que as empresas concorrentes não têm dívidas ao fisco nem à segurança social.

O caso 'Face Oculta', a ser julgado em Aveiro, está relacionado com uma alegada rede de corrupção que tinha como objetivo o favorecimento de um grupo empresarial de Ovar liderado por Manuel Godinho ligado ao ramo das sucatas nos negócios com empresas do setor empresarial do Estado e privadas. No banco dos réus estão sentados 36 arguidos (34 pessoas e duas empresas) que respondem por centenas de crimes de burla, branqueamento de capitais, corrupção e tráfico de influências.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG