"Polícia estava basicamente à procura de drogas e de armas"

Preocupação. Pai de um dos alegados detidos relatou como se processaram as buscas.

A notícia correu célere no dia de ontem e à hora de almoço já se concentravam junto ao Estádio da Luz várias pessoas a tentar perceber o que se passava, até porque era dia de jogo com o Estrela da Amadora.

Entre elas estava um pai preocupado, que procurava a todo o custo saber mais pormenores junto do corpo de segurança do Benfica. Face ao silêncio do seu interlocutor, não teve outra solução a não ser abrir o coração.

"O meu filho é um dos detidos. Estou farto de lhe dizer para ele não andar com essa seita...", começou por revelar, bastante combalido,sentindo que o momento era complicado. Depois, continuou a história. "Eu sou divorciado e só sei que a polícia foi à casa da minha ex-mulher com quem a o meu filho devia estar a viver. Eram seis da manhã. A polícia foi intransigente. Disseram-lhe que ela tinha que abrir a porta senão ficava com a entrada arrombada pois eles não iam esperar. Eles revelaram que estavam, basicamente, à procura de droga e de armas. Foram claros em relação a isso", disse ao DN, sem nunca se querer identificar a si e ao filho. "A sorte, ou o azar, é que o meu filho já não mora lá e eu não consigo falar com ele, tem sempre o telemóvel desligado. Ele deve estar detido, de certeza absoluta", acrescentou.

Perante o elevado estado de preocupação, o segurança disse o que sabia e o que tinha visto, relatando os momentos em que a Polícia de Segurança Pública esteve nas imediações do estádio à procura de material ilícito, na pretensa sede que os No Name Boys utilizavam na Luz: "Eles não levaram nada daquilo que queriam. Tiraram apenas fotografias e saíram com uns papéis. Eram oito agentes, vinham em dois carros e não demoraram mais de vinte minutos". O ambiente no recinto a quatro horas do jogo era de grande acalmia. Havia instruções naturais para quem está ligado ao Benfica dizer muito pouco aos curiosos, principalmente aos jornalistas. Não se tratava de uma densa cortina de silêncio, mas antes um modo de precaução.

Em redor da Luz, famílias, crianças e muita paz. Nada que indiciasse desassossego.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG