Autor do disparo do very-light apanhado

Condenado a quatro anos de prisão, Hugo Inácio conseguiu fugir durante uma visita precária já lá vão 11 anos. Esta quinta-feira foi apanhado em Sintra.

Foi em 1996, na final da Taça de Portugal entre o Benfica e o Sporting que se deu a tragédia: um very-light lançado pelo benfiquista atingiu mortalmente o sportinguista Rui Mendes.

Hugo Inácio foi preso preventivamente cerca de mês e meio depois pela PJ, sendo depois constituído arguido com outras 13 pessoas. Condenado a quatro anos de prisão e preso na cadeia do Linhó, conseguiu escapar durante uma visita precária. Já lá vão 11 anos. Mas esta quinta-feira foi detido.

Em comunicado emitido ontem, a PSP informou que na quinta-feira, "pelas 14:00, o Comando Metropolitano de Lisboa, através da Divisão Policial de Sintra, deu cumprimento a um mandado de detenção visando um homem de 37 anos de idade que se encontrava evadido do Estabelecimento Prisional do Linhó, onde cumpria a pena de 5 anos de prisão pelo crime de homicídio por negligência".

Segundo o mesmo comunicado, o recapturado "encontra-se conectado ao grupo organizado de adeptos benfiquista 'No Name Boys' e foi o autor do lançamento do engenho pirotécnico que motivou a morte de um adepto sportinguista na Final da Taça de Portugal de 1996, que opôs o Sporting Clube de Portugal ao Sport Lisboa e Benfica, facto pelo qual cumpria pena".

Acrescenta ainda a polícia que "o detido encontrava-se evadido desde 20 de Março de 2000, quando ainda lhe restavam 15 meses e 6 dias de cumprimento de pena efectiva, tendo sido interceptado na Rua Mário de Sá Carneiro, Tapada das Mercês, concelho de Sintra" e "conduzido ao Estabelecimento Prisional do Linhó", pelas 16:30 de quinta-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG