Conselho de Justiça pede eleições antecipadas

Decisão unanime dos seis conselheiros ontem reunidos

"Por unanimidade, os membros do Conselho de Justiça (CJ) decidiram pedir ao presidente da Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol a convocação urgente de novas eleições". Esta decisão, anunciada ontem pelo vice-presidente do CJ, Elísio Amorim, é o culminar de um processo, provocado pelas condenações do "Apito Final", que fragilizou aquele órgão federativo.

O pedido do CJ surge cinco dias antes de uma reunião magna extraordinária da FPF que tem como único objectivo analisar o parecer de Freitas do Amaral, que falava num CJ "ferido de morte" e aconselhava a realização de novas eleições.

Sem o presidente Gonçalves Pereira, suspenso, os restantes seis elementos da CJ entenderam realizar a reunião, que consideram ser totalmente legítima, para analisar alguns casos urgentes que estavam a impedir a homologação dos campeonatos. Entre eles o processos de Gondomar e Vizela sobre manipulação de resultados, tendo o CJ reenviado o caso para a Comissão Disciplinar da Liga. Caso venham a ser condenados, Gondomar e Vizela podem ser despromovidos à II Divisão, abrindo caminho para o regresso à Liga de Honra de Fátima e Penafiel.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG