Portugal sem qualquer caso confirmado de gripe suína

A ministra da Saúde, Ana Jorge, disse hoje em conferência de imprensa que não há casos de gripe suína confirmados em Portugal e garantiu que, se existirem indícios da doença no País serão imediatamente comunicados.

A ministra da Saúde comunicou hoje, em conferência de imprensa, a inexistência de casos de gripe suína em Portugal, nos dois indivíduos cujas amostras foram analisadas no Instituto Dr. Ricardo Jorge.

A ministra evidenciou ainda o facto de, até agora, a incidência do vírus se verificar em casos em que houve contactos com pessoas infectadas ou em pessoas que se deslocaram às zonas atingidas pelo foco do vírus (México).

Disse ainda que a existência de qualquer caso do vírus no País será de imediato confirmada pelas autoridades, como parte da estratégia de combate a uma situação mais grave.

Ana Jorge lembrou que os sintomas do vírus H1N1 são semelhantes ao da gripe, e aconselhou as pessoas a contactar a linha Saúde 24 (808 24 24 00) e a seguir as recomendações dos profissionais de saúde da linha. Nos últimos dias, a linha Saúde 24 registou um pico de chamadas.

A ministra desaconselhou ainda o uso de máscaras que, disse, é necessário apenas em cenários de pandemia. Afirmou, no entanto, que há máscaras em número suficiente, em caso de necessidade.

Francisco George, Director-Geral de Saúde, presente na conferência de imprensa, confessou que a Direcção-Geral de Saúde e o Ministério estão preocupados, e referiu a possibilidade, levantada pela Organização Mundial de Saúde, de subir o nível de alerta para o valor 5, numa escala de 6.

A ministra Ana Jorge afirmou que, no caso de se confirmar a existência do vírus em Portugal, os medicamentos adequados ao tratamento da gripe suína "serão fornecidos gratuitamente aos cidadãos de acordo com critérios estabelecidos".

Disse ainda que os medicamentos existem na "quantidade que compõe a reserva estratégica adequada para fazer face à pandemia" e que, nas farmácias, os dois medicamentos que tratam a doença se vendem mediante receita médica.

Segundo a ministra, "não há evidências de crescimento da procura de medicamentos contra a gripe", o que significa que "os portugueses entenderam que devem evitar a automedicação".

Foi dito na conferência que "Portugal aprovou todos os dispositivos previstos para responder a situações deste tipo" e está em permanente contacto com as autoridades internacionais.

A ministra agradeceu ainda a "tranquilidade e confiança" nos serviços de saúde e evidenciou que o plano para combater uma possível pandemia será aplicado segundo as mesmas regras nas regiões autónomas de Açores e Madeira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG