Web Summit vai ser totalmente online. Portugal terá um canal específico

O evento de tecnologia realiza-se este ano totalmente online por causa da pandemia do covid-19. Espera-se 100 mil participantes.

Está decidido. A Web Summit realiza-se este ano totalmente online por razões de saúde pública, uma decisão tomada "depois de conversações com o Governo português e a cidade de Lisboa".

A organização espera 100 mil participantes no evento online e o regresso presencial no próximo ano à cidade de Lisboa.

Este ano o evento, que se realiza de 2 a 4 de dezembro, terá um canal dedicado a Portugal. "Lisboa ainda é a casa da Web Summit, mas com os crescentes surtos de covid-19 por toda a Europa, temos de pensar no que é melhor para os portugueses e para os nossos participantes. A resposta mais segura e razoável é organizar a Web Summit totalmente online em 2020. Esperamos receber os participantes de novo em Lisboa em 2021", diz Paddy Cosgrave, CEO da Web Summit, citado em comunicado.

Depois do Collision from Home, em junho - com 30 mil participantes - é o segundo evento da organização a ser realizado online, mas desta feita esperam-se 100 mil participantes para ouvir cerca de 800 oradores, incluindo o fundador da Zoom (das plataformas que mais cresceu durante a pandemia), Eric Yuan, a comissária europeia Margrethe Vestager, o actor Chris Evans (Capitão América), a cientista Jane Goodall DBE, o CTO do Facebook Mike Schroepfer, entre outros.

Cisco Systems, Siemens, UBS, Twilio e a Cloudflare são algumas das 500 empresas que já acordaram marcar presença online.

O evento terá, pela primeira vez, um canal dedicado a Portugal, que irá incluir entrevistas com centenas de CEO de startups nacionais, bem como segmentos com universidades portuguesas e centros de investigação. "O canal de Portugal irá igualmente explorar a cultura do país, arte, cultura, história e indústria do turismo, exibindo oportunidades de investimento em Portugal e na capital como um tech hub global", descreve a organização.

A Web Summit 2020 terá ainda iniciativas promovendo as startups portuguesas e a indústria nacional, com programas para programadores em open source, mulheres na tecnologia, negócios em Lisboa ou Lisboa Capital Verde 2020.

Como parte do programa INSPIRE, a organização vai oferecer 50 mil bilhetes a estudantes de universidade, recém-licenciados interessados em trabalhar para startups portuguesas ou a lançar a sua própria startup. Mantém-se o The Road 2 WebSummit, uma parceria entre a Startup Portugal e a Web Summit.

A organização compromete-se a promover cerca de 10 mil reuniões online entre empresas portuguesas e investidores internacionais e jornalistas, bem como potenciais clientes e parceiros.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias