UTAO. Governo precisa de excedente de 0,4% no segundo semestre

"Do lado da receita, não é de excluir alguma incerteza na recuperação de garantias do BPP". Do lado da despesa há pressão subir o investimento público

O défice público medido em contabilidade nacional, os cálculos que interessam em matéria de Pacto de Estabilidade e a Bruxelas, excedeu a meta anual do governo de 0,7% do produto interno bruto (PIB) pelo que “será necessário que se registe no 2.º semestre um excedente orçamental de cerca de 0,4% do PIB” de modo a cumprir esse objetivo, afirma a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), num estudo divulgado no final de setembro, no site do Parlamento.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG