Together we Can: Vodafone dá a volta à marca

Operadora faz rebranding num momento em que o setor se prepara para receber nova tecnologia 5G.

Quatro anos depois de perguntar aos consumidores se estavam preparados para o futuro, que seria "incrível", a Vodafone arranca nesta quarta-feira com uma nova identidade visual e gráfica. É um novo reposicionamento, com a assinatura Together We Can (Juntos Conseguimos), que chega aos 30 mercados onde a marca está presente - incluindo Portugal -, numa altura em que o setor se prepara para a chegada do 5G.

"O momento que estamos a viver torna-nos mais sensíveis e passar de uma cultura mais individualista, de uma provocação individual, a uma visão coletiva fazia sentido. A pandemia trouxe-nos a necessidade de nos mobilizarmos todos em direções e propósitos comuns", explica Inês Valadas, administradora da Vodafone Portugal com responsabilidade da unidade de negócios particulares, com o pelouro da marca. A campanha The Irrepressible Girl arranca no sábado.

"Vamos evoluir para uma nova assinatura de marca que visa corporizar uma força maior, que é conseguida pela associação das pessoas à tecnologia. Se nos mobilizarmos e usarmos a tecnologia no sentido certo conseguimos ir muito mais longe", diz Inês Valadas. O rebranding bebe, assim, do atual momento. "O momento que estamos a viver influenciou este reposicionamento", admite Valadas.

Em 2021 estamos longe do otimismo de 2017, ano do último rebranding da operadora, em que 55% dos portugueses acreditava que dali a 20 anos iriam viver melhor com a ajuda da tecnologia. Os novos estudos da marca mostram que a forma como a tecnologia é vista pelas pessoas evoluiu: não é apenas algo que entusiasma, mas que pode fazer a diferença. "Este foi um ano de transformação digital, demos um salto quântico na adoção da tecnologia e agora o que estamos a falar é da adoção da tecnologia para um bom propósito. Claramente, é uma resposta a uma auscultação do mercado e um foco muito mais vincado no presente, na forma como temos de agir em prol de um futuro melhor e não só olhar para o futuro de forma otimista", concretiza.

O reposicionamento da operadora é global, ocorrendo em simultâneo nas três dezenas de geografias onde está presente, num "dos raros momentos em que o mundo está com as mesmas preocupações e prioridades e onde a saúde, a ecologia e a diversidade estão na agenda de todos", reforça a administradora da Vodafone. E ocorre numa altura em que a companhia está, ela própria, a evoluir de uma operadora de telecomunicações para uma empresa de tecnologia.

"Mantínhamos muito o foco no entusiasmo (trazido pela tecnologia) e vamos evoluir para uma questão de energia e de empatia. Não faz sentido hoje estarmos a falar num futuro excitante. Neste momento, as pessoas precisam de ser entendidas e os temas da empatia e da energia são bastante relevantes", defende.

A campanha The Irrepressible Girl - com criatividade da londrina New Commercial Arts e realização de Tom Green, responsável por múltiplas séries televisivas premiadas no Reino Unido, incluindo Misfits e Blackout - vai estar no ar durante duas semanas no mercado nacional.

Ana Marcela é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG