Tele-ensino faz disparar vendas de computadores

Mais 15 mil computadores comprados pelo Estado devem começar a chegar nesta semana. Grosso dos 1,2 milhões prometidos ainda demora.

Foi o maior crescimento de sempre num trimestre, o ocorrido com as vendas de computadores nos três últimos meses de 2020: foram vendidos 277 mil computadores, um disparo de 86,7%. Gastou-se 137 milhões de euros, num ano em que só em compras de PC foram gastos 474,1 milhões, segundo dados da consultora para o mercado tecnológico IDC. As compras de computadores pelo Estado para equipar alunos e professores para a escola digital foi o principal responsável.

"No quarto trimestre a grande razão desse boom foram as compras feitas pelo Estado para as escolas, porque o que se verificou no ano passado foi efetivamente a necessidade de preparar as escolas mas, de certo modo, houve um atraso nas compras principais", aponta Francisco Jerónimo, vice-presidente associado de terminais da IDC EMEA. "Neste momento está claro que, independentemente da vacina, vai haver a necessidade de as pessoas continuarem a trabalhar a partir de casa e de as crianças continuarem a escola online."

Desde 8 de fevereiro que alunos e professores retomaram as aulas remotamente, mas a partir da sala lá de casa e com os equipamentos e internet próprios. É que a tarifa social de internet, para famílias carenciadas, só deverá ser implementada no segundo semestre e o grosso dos cerca de 1,2 milhões de PC prometidos pelo Governo em abril ainda não chegaram. "Fizemos uma primeira encomenda de cem mil computadores, que foi completamente distribuída, e comprámos, ainda no ano passado, 335 mil computadores, que foram suplementados com mais 15 mil computadores", lembrou Tiago Brandão Rodrigues, ministro da Educação, em entrevista à Renascença, adiantando que estes últimos - uma adjudicação direta até 4,7 milhões de euros - começam a chegar nesta semana às escolas.

O Governo abriu quatro linhas de financiamento do PT2020, no valor de 14 milhões, para os municípios adquirirem equipamentos informáticos, "complementando o trabalho de dotação de equipamentos e conectividade no âmbito da Escola Digital." E muitos municípios têm anunciado a compra de equipamentos - só os da região Oeste investiram mais de meio milhão de euros em computadores e internet - e muitas empresas têm feito doação de equipamentos.

A Fundação EDP vai doar cerca de três mil computadores, no valor de um milhão de euros, a escolas e alunos em situação de vulnerabilidade. Os primeiros equipamentos eletrónicos chegam nesta semana à Escola N.º1 de Beja, com os restantes computadores, para alunos entre os 6 e os 14 anos, a serem "distribuídos às escolas identificadas consoante a disponibilidade dos fornecedores". As escolas, sinalizadas com o Ministério da Educação e parte do Programa TEIP - Territórios Educativos de Intervenção Prioritária, estão em "territórios económica e socialmente desfavorecidos, marcados pela pobreza e exclusão social".

Ana Marcela é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG