"Sonho muito, quero muito, invisto muito, espero muito. Por vezes toca o exagero"

O famoso questionário respondido pelo CEO da VINCI Energies Portugal, Pedro Afonso.

A sua virtude preferida?
Lealdade: por formação de carácter desde criança.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Confiança. A confiança é um valor humano fundamental. É a partir desta qualidade que o relacionamento com os outros acontece.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
O mesmo que respondi na pergunta anterior.

O que aprecia mais nos seus amigos?
A capacidade de me aturarem, sem esperar nada em troca.

O seu principal defeito?
"Bigger, better, faster, more" como no álbum... Sonho muito, quero muito, invisto muito, espero muito. De mim, das pessoas e dos projetos. Por vezes toca o exagero: é aí que está o defeito!

A sua ocupação preferida?
A minha profissão. A vida deu-me uma profissão inteira de experiências na relação com os outros. Também me aproximou de pessoas extraordinárias com quem aprendi e aprendo imenso. O que poderia querer mais?

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
A vida que tenho, seguindo junto com as pessoas especiais de sempre.

Um desgosto?
A perda de alguém muito querido. Estou a pensar em duas pessoas em particular. Quando sentimos que nos amam quase como pai e como mãe, é muito forte!

O que é que gostaria de ser?
Exatamente o que sou.

Em que país gostaria de viver?
Portugal, sem dúvida!

A cor preferida?
Azul. Há quem diga que simboliza a água, o céu e o infinito.

A flor de que gosta?
Hortenses: está a ver aquelas estradas nos Açores? Lindas!

O pássaro que prefere?
Águia! Alguma psicologia aponta para a liberdade, a visão do todo, para a vontade de mudança. Não andará longe.

O autor preferido em prosa?
José Luis Peixoto. Da minha geração. Temos de tornar grandes os que vivem e escrevem durante o nosso tempo. E escreve muito com o coração.

Poetas preferidos?
Fernando Pessoa: um clássico. Bob Dylan: cantor e compositor americano, escreveu músicas épicas que me acompanharam toda a vida. Manuel Alegre. José Tolentino de Mendonça.

O seu herói da ficção?
Super Homem. Simboliza a abnegação à Humanidade e ao bem, que é algo de incomparável.

Heroínas favoritas na ficção?
Super Mulher. Mulher Maravilha: a mesma abnegação, mas com aquela sharpness e intuição femininas.

Os heróis da vida real?
Os super-homens e mulheres-maravilha anónimos que fazem a nossa vida funcionar, e que nem sempre são reconhecidos.

As heroínas históricas?
A Padeira de Aljubarrota. É portuguesa, e ajudou a reafirmar Portugal.

Os pintores preferidos?
Amadeo de Souza Cardoso.

Compositores preferidos?
Vivaldi encanta-me e deixa-me feliz.

Os seus nomes preferidos?
Diogo. Ana. Filipe. São os nomes dos meus filhos e por quem não me canso de chamar.

O que detesta acima de tudo?
Falta de foco. Há obra que fica por fazer porque às vezes nos entretemos com distrações. A obra feita faz-me sentir realizado.

A personagem histórica que mais despreza?
Adolfo Hitler. Por ser recente. Por ser muito mau.

O feito militar que mais admira?
Um líder militar, em vez de um feito: Viriato.

O dom da natureza que gostaria de ter?
Voar. O mais próximo que experimentei foi quando fiz o curso de paraquedismo em salto automático em 1993. Foi o maior sentimento de medo que tive: a vida presa por um trapo. O momento da queda no chão, foi uma enorme sensação de alívio. Nunca imaginei que ter os pés presos ao chão fosse tão reconfortante.

Como gostaria de morrer?
De repente. Sem estar à espera, e sem qualquer sofrimento.

Estado de espírito atual?
Querer que o mundo se abrace fisicamente novamente.

Os erros que lhe inspiram maior indulgência?
Os riscos que se correm para salvar vidas.

A sua divisa?
"Um por todos e todos por um". A divisa do Colégio Militar, onde estudei dos 10 aos 18 anos. Onde aprendi o valor do coletivo sobre o individual.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG