Sitava acusa TAP de promover "terrorismo verbal" e pede esclarecimentos

O sindicato refere que as reservas que tinha em relação à privatização da TAP "estão a confirmar-se com toda a sua crueldade".

O Sindicato dos Trabalhadores de Aviação e Aeroportos considera que o Estado português “se demitiu das responsabilidades e permite que os minoritários façam, a seu belo prazer, a gestão do capital”. Numa carta dirigida aos associados, esta quarta-feira, afirma que todas as dúvidas em relação à privatização da TAP “estão à vista, a confirmar-se com toda a sua crueldade”, e garante que vai defender os interesses dos trabalhadores. Para isso, foram convocadas reuniões urgentes com a direção-geral de Recursos Humanos da TAP.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG