Ryanair obrigada a pagar subsídios de férias e de natal

O sindicato acusa a Ryanair de continuar a desrespeitar a lei portuguesa

A Ryanair vai ter de pagar os subsídios de férias e de natal a um antigo funcionário despedido sem justa causa. A decisão foi proferida pelo Tribunal da Relação de Lisboa, no âmbito de um processo do ex-colaborador, sendo que vem confirmar a sentença proferida em primeira instância. O tribunal deu razão ao trabalhador e condenou a empresa irlandesa ao pagamento dos subsídios de férias e de natal devidos desde o início do contrato de trabalho.

"Após vários anos de avanços e recuos, os tripulantes de cabine da companhia Ryanair/Crewlink a operar em Portugal começam finalmente a ver os seus direitos reconhecidos, ainda que apenas após recurso a tribunais, para que estes sejam respeitados pela empresa irlandesa", sublinha o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo de Aviação Civil (SNPVAC), em comunicado enviado às redações.

O SNPVAC adianta ainda que após "uma série de violações em matérias parentais, a companhia aérea foi finalmente obrigada a respeitar o regime de parentalidade em vigor em Portugal". O SNPVAC obteve pareceres favoráveis da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego nestas matérias.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG