Royal Express. De Cascais ao Porto por 5 euros e agora à conquista de Espanha

Serviço de autocarros da Scotturb inicia ligação a Vigo na próxima semana e, no ano que vem, arranca com percursos para Madrid e não só.

Chegou a Portugal, em setembro, com a promessa de ligar Cascais ao Porto por cinco euros e as reservas dispararam. Agora, a Royal Express, empresa de transportes low-cost, dá novo salto: arranca com o percurso Cascais-Sintra-Vigo logo após o Natal, um primeiro passo para, em 2020, começar a ligar Portugal a cinco cidades espanholas a preços baixos.

"Temos a ambição de ligar Portugal às principais capitais da Europa até 2021. Muito em breve iremos lançar a linha expresso Cascais-Sintra-Vigo", avançou ao DN/Dinheiro Vivo, Nuno Oliveira, diretor-geral da Royal Express, destacando que a primeira linha internacional nascerá "em parceria com uma empresa espanhola para Vigo e Valença" na semana do Natal.

Este é apenas um passo à conquista do País vizinho. Nos planos da Royal Express está já a introdução de percursos que liguem Portugal a Madrid, Sevilha, Málaga, Santiago de Compostela. "Em 2021 o projeto é expandir para França", acentuou o responsável.

A Royal Express está neste momento a ligar Porto a Sintra e Cascais. "A escolha de Cascais tem que ver com o facto do nosso principal concorrente ser o carro privado", diz Nuno Oliveira, assumindo a importância de ter "terminais descentralizados e com fácil acesso pelos meios de massa como o comboio". E dá um exemplo: "uma pessoa que viva no concelho de Cascais ou Sintra, para ir para o Porto, não tinha até agora um transporte direto. Tinha sempre que se deslocar a Lisboa e daí para o Porto. Muitas pessoas acabavam por levar o carro por uma questão de comodidade e de horários, apesar de ser bem mais poluente".

Com as novas rotas sob pano de fundo, a Royal Express investiu na aquisição de dois novos autocarros de dois andares, com 82 assentos e casa de banho "para dar ainda maior conforto e poder atender melhor nossos clientes". O investimento nos novos autocarros foi de "um milhão de euros" e os começam a operar a 27 de Dezembro", anunciou ainda Nuno Oliveira.

Desde que iniciou operações para ligar a região de Lisboa ao Porto por 5,29 euros, aos fins de semana, a Royal Express regista "praticamente 100% de ocupação". No início de dezembro, inclusivamente, já não havia fins-de-semana livres até final de janeiro.

Nuno Oliveira esconde a receita para praticar preços tão baixos face aos concorrentes diretos - como a Rede Expressos ou a Flixbus -, mas reforça que o princípio se irá manter no futuro com as rotas internacionais: "Faz parte da estratégia da empresa aplicar sempre os menores preços do mercado e, com base nos algoritmos do nosso sistema de vendas, conseguimos praticar o preço justo".

A porta fica aberta para que os preços do serviço de transportes possam cair. "À semelhança do que se passa no mercado do transporte aéreo [o preço] irá promover uma maior procura no nosso setor e consequentemente mais concorrência, o que é bom para todos".

A Royal Express é uma empresa do grupo brasileiro Guanabara, que opera autocarros no Rio de Janeiro há já 50 anos. O grupo "rei do ônibus", nasceu em 1968 pelo banqueiro Jacob Barata, é composto por 20 empresas de transporte urbano, intermunicipal e interestadual em oito estados brasileiros. Tem também negócios no estrangeiro como a Scotturb, onde a Royal Express está inserida, e investimentos em imobiliário, hotelaria e concessionários automóveis.

Ana Margarida Pinheiro é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias