Riscos de retirada precoce dos apoios à economia são "sérios"

O governador do BdP diz que "distanciamento social não é sinónimo de confinamento" e que a economia pode ser mantida a funcionar sem colocar em risco a segurança das populações, com a utilização de máscaras e o controle dos surtos.

O governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, avisou esta terça-feira que os riscos de uma retirada precoce dos apoios à economia são "sérios" e exigem uma avaliação "cautelosa".

"Com a incerteza elevada em que nos encontramos e a recuperação ainda fraca a que assistimos, os riscos de uma retirada precoce dos apoios parecem sérios exigindo avaliações cautelosas", afirmou hoje Mário Centeno em Lisboa durante a conferência "Banca do Futuro", organizada pelo Jornal de Negócios.

Durante a sua intervenção, o governador do BdP disse que os próximos meses serão "desafiadores" e assinalou que "distanciamento social não é sinónimo de confinamento", referindo que a atividade económica pode ser mantida a funcionar sem colocar em risco a segurança das populações, com a utilização de máscaras e o controle dos surtos.

Mais Notícias