Receitas totais da Vodafone Portugal sobem 7,7% para 298 M€ no 3.º trimestre fiscal

A empresa salienta que, de outubro a dezembro, o seu terceiro trimestre fiscal 2021-2022, "a Vodafone Portugal atingiu 270 milhões de euros de receitas de serviço, o que representa um crescimento de 9,3% face ao mesmo período do ano passado no seu principal indicador de negócio".

As receitas totais da Vodafone Portugal subiram 7,7%, em relação ao período homólogo, no terceiro trimestre fiscal, para 298 milhões de euros, e as de serviço cresceram 9,3% para 270 milhões de euros, anunciou esta quarta-feira a operadora de telecomunicações.

Em comunicado, a empresa salienta que, de outubro a dezembro, o seu terceiro trimestre fiscal 2021-2022, "a Vodafone Portugal atingiu 270 milhões de euros de receitas de serviço, o que representa um crescimento de 9,3% face ao mesmo período do ano passado no seu principal indicador de negócio".

As receitas totais "aumentaram 7,7% em relação ao período homólogo, totalizando 298 milhões de euros", acrescenta a operadora liderada por Mário Vaz.

"Durante o terceiro trimestre, o número de clientes fixos continuou a crescer, dos quais 864 mil são no serviço de banda larga fixa, mais 8,1% do que o mesmo período do ano anterior", sendo que este aumento "representa o reconhecimento dos clientes na estratégia de inovação da Vodafone nesta área de negócio, que tem vindo a reforçar a sua oferta com novos e diferenciadores produtos, garantindo sempre a qualidade do serviço", lê-se no comunicado.

"Os resultados do terceiro trimestre foram impulsionados pelo crescimento sustentado do negócio fixo, bem como pela estabilidade no negócio móvel"

No final de dezembro, a rede FTTH [fibra até casa] de última geração atingiu 4,1 milhões de lares e empresas, mais 11,5% em termos homólogos.

"Os resultados do terceiro trimestre foram impulsionados pelo crescimento sustentado do negócio fixo, bem como pela estabilidade no negócio móvel, que manteve um ritmo constante sob um ambiente muito competitivo", refere a Vodafone.

"Quando comparado com o mesmo período do ano passado, as receitas de 'roaming', visitantes e pré-pagos aumentaram em resultado de alguma recuperação do turismo, com um impacto positivo na evolução do principal indicador do negócio", salienta.

A base total de clientes do serviço móvel era de 4,7 milhões no período em análise, um aumento de 3,3 face ao terceiro trimestre de 2020.

"O terceiro trimestre teve um marco muito importante, que foi o fim do leilão de 5G. Finalmente, Portugal conseguiu ter esta importante nova geração móvel, que a Vodafone Portugal lançou comercialmente a 30 de novembro de 2021", sublinha o presidente executivo, Mário Vaz, citado no comunicado.

"Estamos entusiasmados com esta nova fase, que certamente nos permitirá continuar a inovar, melhorar a conectividade e contribuir para um futuro melhor para o país. E isto acontece ao mesmo tempo que a Vodafone Portugal está a registar um crescimento sustentado, com um bom desempenho do negócio fixo e uma estabilização do segmento móvel", prossegue o gestor.

A Vodafone Portugal está também a continuar a sua "expansão de FTTH" pelo país "a bom ritmo, como demonstra o crescimento de 11,5%, face ao ano passado, que nos permitiu chegar a 4,1 milhões de lares e empresas neste trimestre", aponta Mário Vaz.

A empresa salienta que o lançamento comercial do 5G "foi o ponto alto" do terceiro trimestre fiscal.

"Relativamente ao segmento empresarial, a Vodafone Portugal lançou um conjunto de novas soluções de cibersegurança para clientes empresariais, que proporcionam às empresas portuguesas a segurança e confiança de que necessitam para acelerarem a sua transformação digital e otimizarem as suas infraestruturas digitais", adianta.

"Em dezembro, a Vodafone Portugal endereçou a violência doméstica como tema central da campanha de Natal, com elevado impacto mediático e estimulando a discussão sobre este problema social", tendo a ação "mais de três milhões de visualizações" nas redes sociais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG