Peugeot 3008. Outro SUV com bons atributos

A oferta não para de crescer e a Peugeot continua a apostar forte nos SUV. O novo 3008 ganhou em tudo e abalança-se a fazer guerra num plano onde, provavelmente, poucos o imaginariam

Um grande salto, aquele que a Peugeot dá com o novo 3008. O SUV francês está à altura das melhores expectativas e confirma a validade da aposta da marca francesa numa afirmação ao nível do melhor que pode esperar-se de um construtor generalista.

O estilo inspirado é mais do que um slogan. O 3008 integra o lote daqueles produtos com os quais se cria empatia fácil. Bem proporcionado, imagem de raça, moderno sem deixar de ser sóbrio, veste com classe um ambiente que conquista, projetado num interior que leva a alto nível o minimalismo dos novos Peugeot.

A novidade maior é o i-cockpit, um painel de bordo digital com cinco configurações que permite jogar com a informação mais adequada a diferentes momentos de condução. Graficamente atraente e simples de utilizar deve ser tido, antes de um gadget, como instrumento de informação importante. Do melhor que há no género.

O ecrã tátil de 8", estilo tablet, pode ser usado como complemento e é valorizado pelo teclado de piano que permite também controlar todas as funções. Surge como moldura superior de uma consola que divide o habitáculo e se prolonga num grande apoio de braços central, o qual disponibiliza espaço de sobejo para arrumações. O pequeno volante multifunções pode fazer confusão a muita gente, mas enquadra-se perfeitamente, está longe de ser subterfúgio para facilitar a leitura dos instrumentos, como acontecia nos modelos que estrearam a nova filosofia Peugeot.

O destaque dado a estes pormenores pode parecer uma distorção na análise a um automóvel. A perspetiva, no entanto, é a de que o condutor vive cada vez mais o ambiente e vê com outros lhos aquilo de que pode dispor ao volante, sejam os instrumentos de segurança, sejam as outras facilidades postas ao seu serviço.

Ora, num carro com mais cinco centímetros, espaço generoso e boa habitabilidade, confortável logo ao olhar, a Peugeot propõe um invejável pacote de equipamento, distribuído por quatro níveis - Active, Allure, GT Line e GT - que devem satisfazer o cliente. E não é por acaso que 44% das vendas correspondem às ofertas mais bem recheadas... O 3008 é um carro que se vive e dá gosto viver!

E também do ponto de vista prático, com uma mala de boas dimensões, 590 litros, potenciável através do rebatimento dos bancos traseiros (60x40) feito através de dois puxadores nas paredes da bagageira. O fundo é amovível e tem dois degraus de colocação.

A aposta num novo modo de entender o automóvel estende-se ao alargamento da oferta da caixa automática. Sem expressão ainda não há muito, esta escolha já representa 15% das vendas e não custa admitir que ganhe mais representatividade. A transmissão da japonesa Aisin, com seis velocidades, convence facilmente, utilizem-se ou não as patilhas de comando no volante.

Construído sobre a plataforma EMP2, recorrendo a três motorizações conhecidas - os diesel 2.0 BlueHDI (180 vc) e 1.6 BlueHDI (120 cv) e o tricilíndrico 1.2 PureTech (130 cv) a gasolina - todos disponibilizados com uma caixa manual de seis velocidades ou a citada transmissão automática, o novo 3008 conduz-se com prazer.

Com 400 Nm de binário, o 2.0 proporciona capacidade despacho muito superior, mas o 1.6 BlueHDI (300 Nm), a escolha preferida dos portugueses, é um carro equilibrado e até surpreende quando casado com a transmissão automática. Notável afirma-se a resposta do premiado 1.2 PureTech (230 Nm), que parece indiferente ao maior peso do conjunto e continua a ser impressivo em termos de ruído e vibrações.

Do ponto de vista dinâmico, duas centenas de quilómetros atestam o acerto de uma afinação conhecida dos Peugeot, no caso num carro mais alto e que nos pareceu resistir muito bem às transferências de massas, logo uma carroçaria resistente aos balanceamentos.

Enfim, um produto capaz de boa carreira, mesmo que a Peugeot procure posicionar-se acima do que parecia ser a sua concorrência natural. Mas é um facto que o 3008 tem capacidade para mais.

A oferta em termos de preços começa nos 30 650 euros para o PureTech e naquele que promete ser o mais vendido, o 1.6 BlueHDI arranca nos 32 750 euros. Para ter caixa automática neste é preciso subir na oferta e pagar 34 750 euros

SOLTAS

O BRINQUEDO

Uma trotineta dobrável com motor auxiliar elétrico pode ser adquirida com o Peugeot 3008. Designada e-Kick tem uma docksation que se monta na mala e permite o carregamento em andamento. É apresentada como proposta auxiliar de mobilidade em cidade, mas não parece opção muito convincente. Uma gracinha... Tal como a bicicleta igualmente proposta.

A DIFERENÇA

As versões GT Line e GT podem ser adquiridas com uma pintura original. Designada Coupe Franche propõe a traseira em preto, a partir de um corte transversal. Ousado e diferente, não é solução para todos.

OUTRO SOM

É uma proposta cada vez mais normal, um sistema de som melhorado. No 3008, chegou a vez da francesa Focal trabalhar a acústica através de uma solução com um amplificados de 515 Watts e dez altifalantes, incluindo um subwoofer de 20 cm. Se gosta de música, vale a pena avaliar a diferença!

GRIP CONTROL

O sistema eletrónico de complemento de tração utilizado pelo grupo PSA também está instalado no 3008 - comando rotativo junto ao seletor de velocidades. Continua a oferecer cinco modos (normal, neve, areia, lama e ESP off). É agora complementado por um controlo de descida (acionável por interruptor) o qual, perante os desafios mais íngremes, se encarrega de garantir a segurança sem necessidade de usar o travão.

Fichas técnicas

1.6 BlueHDI

Motor: 1560 cc, turbodiesel, injeção direta, stop&start

Potência: 120 cv/3500 rpm

Binário máximo: 300 Nm/1700 rpm

Transmissão: caixa de seis velocidades manual ou automática, esta com patilhas no volante

Aceleração 0-100: 11,2 s (11,6) Velocidade máxima: 189 km/h (185)

Consumos: média - 4 l/100; urbano - 4,7; estrada - 3,5 (4,4/4,9/4,1)

Emissões CO2: 111* g/ km (114)*

Mala:591/1670 litros

Preço: 32 750 euros (34 750 euros)

Entre parêntesis,valores para caixa automática

*Resultados com jantes de 18"

1.2 PureTech

Motor: 1199 cc, três cilindros

Potência: 130 cv/5500 rpm

Binário máximo: 230 Nm/1750 rpm

Transmissão: caixa manual de seis velocidades

Aceleração 0-100: 10,8 s

Velocidade máxima: 188 km/h

Consumos: média - 4,1 l/100; urbano - 6; estrada - 4,5

Emissões de CO2: 117 g/ km

Mala: 591/1670 litros

Preço: 30 650 euros

Mais Notícias

Outras Notícias GMG