Nova aposta de Warren Buffett deixa mercados de sobreaviso

Quando o 'guru' dos mercados troca ações de bancos por uma aposta numa companhia de extração de ouro não é um bom sinal para os investidores.

Warren Buffett, o investidor e multimilionário "guru" das bolsas, despejou nos mercados ações de bancos e apostou na segunda maior empresa mundial de extração de ouro, sinalizando que não acredita numa recuperação rápida da economia.

Buffett comprou 20,9 milhões de ações da mineira, representantes de 1,2% da empresa, num valor de mercado de 565 milhões de dólares, segundo um comunicado enviado ao regulador da bolsa na sexta-feira. As ações da companhia fecharam a valorizar 7,4% em Wall Street na última sessão.

O investidor, um aficionado do setor da banca, despejou nos mercados ações de bancos, o que surpreende. Buffett investiu em ações da banca nos EUA durante e após a anterior crise financeira e tem sido um dos principais acionistas dos principais bancos norte-americanos. Mas, aparentemente, o encanto acabou.

No segundo trimestre, a Berkshire vendeu, entre outras posições, 62% da sua participação no J.P. Morgan e 26% da Wells Fargo. A companhia fez outros desinvestimentos no setor financeiro, incluindo em empresas como a Visa e a Mastercard, e concluiu a saída do Goldman Sachs, já iniciada no trimestre anterior.

A aposta de Buffett surge na sequência da crise criada pelo confinamento forçado da população e encerramento de grande parte da atividade económica em muitos países no âmbito no âmbito da epidemia do novo coronavírus. A economia mergulhou numa das piores crises de sempre e o desemprego disparou, incluindo em Portugal.

O preço do ouro está entre os que têm beneficiado com a crise e as medidas que têm sido adotadas por bancos centrais, o que ajuda à valorização de empresas do setor de extração de metais preciosos. O ouro valorizou quase 30% em 2020 e está a cotar acima dos 1900 dólares a onça.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG