Ministro das Infraestruturas acusa Alfredo Casimiro de "enganar o Estado português"

O ministro das Infraestruturas acusou esta terça-feira o presidente do Conselho de Administração da Groundforce, Alfredo Casimiro, de ter enganado o Estado português e os trabalhadores da empresa de 'handling', por não ter informado antes que tinha as ações empenhadas.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, que está esta terça-feira a ser ouvido pela comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, disse que a questão das ações empenhadas de Alfredo Casimiro, que estavam a ser pedidas pela TAP como garantia para um adiantamento à Groundforce para o pagamento de salários, foi um "momento infeliz em que um empresário decide enganar o Estado português", bem como os trabalhadores.

O governante considerou ainda que Alfredo Casimiro é "um homem que provou que não é sério" e que tentou várias "manobras de diversão" durante as negociações com a TAP, para um empréstimo que permitisse à Groundforce pagar os salários aos seus 2 400 trabalhadores, em atraso desde fevereiro.

"Estamos a falar de um empresário que, no relacionamento com o Estado, esteve a enganar o Estado até ao fim e que, a determinada altura, posteriormente, ainda grava uma reunião com um ministro", afirmou Pedro Nuno Santos. "Não podemos fazer de conta que não se passou nada e que estamos perante um empresário igual aos outros", acrescentou ainda.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG