António Mexia e João Manso Neto pedem recusa do juiz Carlos Alexandre

O advogado de defesa do CEO da EDP António Mexia, e do CEO da EDP Renováveis, João Manso Neto, apresentou um incidente de recusa do juiz Carlos Alexandre, responsável pela instrução criminal no caso EDP onde os dois são arguidos.

Os interrogatórios aos dois, que estavam previstos para 2 e 3 de junho, ficam, assim, suspensos até que o Tribunal da Relação de Lisboa avalie o pedido apresentado esta quinta-feira.

O advogado João Medeiros considera que as primeiras decisões de Carlos Alexandre são parciais e que foi o próprio juiz a pedir ao Conselho Superior de Magistratura para ficar com os processos que tinham sido atribuídos ao juiz Ivo Rosa durante o período em que este está em exclusivo com o processo da Operação Marquês. O DV sabe que a defesa chega a referir no pedido de recusa que a redistribuição de processos poderia permitir um aumento de salário a Carlos Alexandre, que um juiz não pode escolher os processos que quer trabalhar e que o juiz nunca permitiu à defesa o acesso às decisões do Conselho Superior de Magistratura que lhe entregaram o processo em causa.

Em atualização

Dinheiro Vivo, a sua marca de economia

Mais Notícias