McDonald's tem 100 mil euros para bolsas de estudo no ensino superior

Programa de bolsas estende-se a toda a rede de restaurantes e reforça atribuição de bolsas já existente desde 2008.

A McDonald"s Portugal está a disponibilizar 100 mil euros anuais para apoiar o pagamento de propinas aos colaboradores que pretendam ingressar ou finalizar os seus estudos superiores. Por ano serão atribuídas 200 bolsas, de 500 euros.

A medida abrange os colaboradores de toda a rede de 177 restaurantes. "Apesar do ano atípico que se está a viver, não podíamos deixar de continuar a apoiar e cuidar dos nossos colaboradores, bem como reconhecer o seu mérito. No atual contexto difícil em que vivemos, o nosso compromisso com as nossas pessoas sai reforçado: continuamos a cuidar e a apoiar, através da formação, da flexibilidade e gestão de horários, bem como da valorização e reconhecimento. Contudo, queremos ir ainda mais longe e apoiar os nossos colaboradores a construírem o seu futuro, pelo que é com orgulho que apresentamos o programa UP - um programa nacional de Bolsas de Estudo - que irá atribuir 200 bolsas de estudo por ano a colaboradores da McDonald"s, com o objetivo de os apoiar e incentivar a ingressar ou a concluir o Ensino Superior, bem como contribuir para o seu desenvolvimento pessoal e profissional", justifica Sofia Mendoça, diretora de Recursos Humanos da McDonald"s Portugal, citada em nota de imprensa.

Desde 2008 que a cadeia tem vindo a atribuir bolsas de estudo aos colaboradores. "Entre 2008 e 2019 atribuímos 250 bolsas de estudo a colaboradores de um grupo limitado de restaurantes. Em 2020, por querermos reforçar o apoio aos nossos colaboradores, nomeadamente neste período complicado que o país atravessa, decidimos fazer crescer este programa, dando-lhe uma dimensão nacional, contando agora com a participação de todos os restaurantes McDonald"s do país", adianta fonte oficial quando questionada pelo Dinheiro Vivo.

Ou seja, com o UP a atribuição estende-se à rede de restaurantes franquiados e o número de bolsas atribuídas eleva-se para 200 por ano. "Vamos oferecer anualmente 200 bolsas de estudo, atribuídas a nível nacional, possibilitando a atribuição de pelo menos uma bolsa de estudo por restaurante, representando um investimento financeiro anual de 100.000 euros por ano (500 euros por bolsa)", reforça a mesma fonte da cadeia de restauração.

"Os colaboradores que pretendem candidatar-se às Bolsas de Estudo, necessitam de ter cumulativamente os seguintes requisitos: antiguidade mínima de um ano de empresa; tenham evidenciado um bom desempenho (assiduidade, boa atitude, espírito de equipa); e comprovativo de matrícula no Ensino Superior, no ano letivo para o qual se candidatam à Bolsa de Estudo", esclarece fonte oficial da cadeia.

"O processo de candidatura é interno, despoletado diretamente junto do gerente do restaurante onde o colaborador trabalha (os materiais para a candidatura encontram-se disponíveis no restaurante e no site interno da empresa)", clarifica.

Esta iniciativa da cadeia - que só em Portugal dá emprego a 8500 pessoas nos 177 restaurantes, no Continente e Ilhas, 90% dos quais são geridos por empresários locais/franquiados - é acompanhado por uma campanha de comunicação, tendo como protagonistas três colaboradores que já contaram com o apoio das Bolsas de Estudo McDonald"s para que conseguissem concluir os seus estudos no Ensino Superior.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias