Mário Ferreira prepara-se para comprar 30% da TVI

O empresário da ​​​​​​​Douro Azul tem um memorando de entendimento com o grupo espanhol dono da TVI.

É oficial. Mário Ferreira está a negociar a compra de até 30,22% do grupo Media Capital com a Prisa, acaba de comunicar em Espanha ao mercado o grupo dono da TVI. É a quarta tentativa de compra da Media Capital. Negociações decorrem em exclusivo até 15 de maio.

A Prisa e a Pluris Investments, de Mário Ferreira, fecharam um memorando de entendimento para a compra de até 30,22% da posição do grupo de media espanhol na Media Capital.

"O objetivo deste memorando de entendimento visa definir os termos iniciais e condições no âmbito das quais as partes estarão interessadas em prosseguir a transação e os passos que terão de ser dados para a conclusão da operação, incluindo contactos preliminares com os reguladores portugueses e a obtenção de um waiver de certos credores da Prisa, tendo sido estabelecido para este propósito um período de exclusividade até 15 de maio de 2020", pode ler-se no comunicado.

"As partes preveem formalizar a operação através da execução de uma transmissão em bloco de ações sob os termos habituais para este tipo de transações. O Memorando de Entendimento prevê que imediatamente após as execução da operação, se adotem as medidas necessárias para que a Pluris tenha uma representação adequada (não de controlo) no conselho de administração da Media Capital".

"Ainda que a Prisa se mantenha como o único acionista de controlo da Media Capital e não haja um acordo de acionistas entre as partes, a Prisa considera a Pluris um co-investidor ideal na Media Capital dado o seu compromisso demonstrado com a sua economia, o seu compromisso em apoiar e assistir a equipa de gestão da Media Capital com o seu conhecimento financeiro e o histórico como investidor focado no crescimento e compromisso e capacidade, se necessário, de financiar a Media Capital".

A concretizar-se o negócio, Mário Ferreira vai passar a deter cerca de 30% da Media Capital, mantendo-se a Prisa como acionista de controlo. Atualmente, o grupo é detido a mais de 90% pela Prisa, através da Vértix, tendo o banco galego Abanca uma participação minoritária. A compra de até 30,22% trava a obrigatoriedade do empresário ter de lançar uma oferta pública de aquisição sobre todo o capital (obrigatória a partir de 33%).

Ana Marcela é jornalista do DInheiro Vivo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG