Mais de um milhão de portugueses trabalharam em casa no 2.º trimestre

Três quartos dos trabalhadores não tiveram ainda assim opção de teletrabalho. Destes, quase 644 mil estiveram ausentes sem trabalhar.

Um milhão de pessoas estiveram em teletrabalho no segundo trimestre sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa, segundo o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), entre abril e junho, "a população empregada que indicou ter exercido a sua profissão sempre ou quase sempre em casa na semana de referência ou nas três semanas anteriores foi estimada em 1094,4 mil pessoas", o equivalente a menos de um quarto da população empregada (23,1%).

Do mais de um milhão de trabalhadores em teletrabalho, 998,5 mil pessoas (91,2% em termos relativos) deram como razão principal para terem trabalhado a partir de casa a pandemia de covid-19.

Já comparando as horas trabalhadas, diz o INE que "não há grande diferença entre trabalhar em casa ou fora de casa", uma vez que quem trabalhou em casa trabalhou, em média, 35 horas semanais, enquanto quem trabalhou fora de casa trabalhou, em média, 36 horas.

Já 643,8 mil pessoas empregadas não trabalharam nem no emprego principal nem em casa ou em outro local durante o período de referência, das quais 76,3% (491,5 mil) devido à covid-19.

Os resultados hoje divulgados fazem parte do módulo sobre 'Trabalho a partir de casa' do Inquérito ao Emprego. A população-alvo deste módulo é composta pela população empregada, estimada em 4,731 milhões de pessoas, segundo o INE.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias