CGD pode dar ao Estado dividendos de 300 milhões

Em Portugal, o banco estatal, liderado por Paulo Macedo, registou um lucro de 592,5 milhões, um aumento de 73,7%.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) registou um lucro líquido de 776 milhões de euros em 2019, o que corresponde a um aumento de 56,5% face ao ano anterior, suportado na melhoria dos resultados em Portugal e na atividade internacional e na venda de subsidiárias no exterior.

Perante estes resultados, Paulo Macedo, presidente executivo da CGD, afirmou na apresentação das contas da CGD de 2019 que o banco aponta para a distribuição de dividendos de "cerca de 300 milhões (de euros) ao acionista" Estado.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) fechou também o ano de 2019 com menos 575 trabalhadores em Portugal, tendo cortado 20% dos seus quadros desde o final de 2016 - atualmente tem 7.100 trabalhadores. O banco estatal tem vindo a cortar custos, a diminuir a dimensão da sua estrutura e a vender subsidiárias no exterior no âmbito de um Plano Estratégico acordado com Bruxelas, relativo à recapitalização da CGD.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG