Lucro da CGD aumenta 85% para 126 milhões

O banco liderado por Paulo Macedo reportou uma melhoria do resultado nos primeiros três meses de 2019.

A Caixa Geral de Depósitos lucrou 126,1 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, uma subida de 85% em relação ao mesmo período de 2018. A melhorar as contas do banco público estiveram a libertação de provisões e imparidades, o corte de custos e a maior faturação com comissões.

"O resultado líquido consolidado atingiu no primeiro trimestre 126,1 milhões de euros (mais 58 milhões que em março de 2018, um crescimento de 85%", indicou o banco num comunicado divulgado esta quinta-feira.

A evolução é explicada pela evolução das provisões e imparidades. Nos primeiros três meses do ano passado, a CGD registou custos deste tipo no valor de 21,9 milhões. No primeiro trimestre de 2019 em vez de assumir custos libertou 53,5 milhões em provisões e imparidades.

O banco público reportou uma descida de 3,8% da margem financeira alargada. A diferença entre os juros que cobra e os que paga foi de 287,3 milhões, uma de descida de mais de 11 milhões face ao alcançado no mesmo período do ano anterior.

No entanto, o corte de custos e a subida de comissões ajudaram os números da Caixa. Os custos de estrutura caíram mais de 5% para 277,7 milhões de euros (uma descida de 15,5 milhões). Os gastos com pessoal desceram quase 7% para 188,5 milhões. Já os rendimentos de serviços e comissões aumentaram mais de 4% para 148,9 milhões, uma subida de seis milhões de euros.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG