Johnson & Johnson espera ter vacina aprovada em fevereiro

Será a quarta vacina desenvolvida por grandes companhias farmacêuticas mundiais a ficar pronta. Fase final de testes deve estar concluída no final de janeiro, diz a Johnson & Johnson.

A vacina que está a ser desenvolvida pela Johnson & Johnson (J&J) deverá ser aprovada em fevereiro, anunciou a farmacêutica, este domingo.

Será assim a quarta vacina desenvolvida por grandes companhias a ficar disponível. As outras três marcas que estão prestes a distribuir ou já estão a distribuir o seu produto são AstraZeneca, Pfizer e Moderna.

Entretanto, foram noticiados alguns problemas que podem atrasar a solução da AstraZeneca, que está a ser feita em parceria com a Universidade de Oxford, em Inglaterra.

Em comunicado, a J&J diz que a terceira fase de testes -- a fase final de testagem em larga escala, abrangendo mais de 45 mil pessoas -- entrou em velocidade de cruzeiro e os resultados definitivos devem ser conhecidos "no final de janeiro de 2021".

A Johnson & Johnson diz que a data ainda é "aproximada" porque esta fase final de testes "está dependente de eventos na doença".

Se o calendário da J&J se confirmar e se os resultados da fase 3 indicarem que a vacina é "segura e eficaz", então a companhia diz que estará pronta a pedir uma "autorização de emergência" às autoridades dos Estados Unidos "em fevereiro".

Além das vacinas AstraZeneca, Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson, também a Rússia já tem vacinado a população local com a sua vacina Sputnik V.

No sábado, o governo chinês, citado pela Bloomberg, revelou que já administrou mais de um milhão de vacinas contra a covid-19 desde julho, tendo começado pelos trabalhadores da indústria transformadora por serem os mais expostos, por terem de trabalhar presencialmente nas fábricas.

A vacina chinesa está a ser desenvolvida e produzida pela Sinovac Biotech e pela empresa pública China National Biotec Group.

jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG