Impostos das transferências para offshores ainda podem ser cobrados

As 20 declarações não foram nem tratadas pelo fisco em termos estatísticos nem inspecionadas.

Uma parte dos 10 mil milhões de euros transferidos para paraísos fiscais entre 2011 e 2014 ainda vai poder ser escrutinada pela Autoridade Tributária e Aduaneira, referem fiscalistas e juristas. É que, quando estão em causa diretos de liquidação de impostos que decorram de transações com offshores, o prazo de caducidade é, em regra, de 12 anos. Ainda assim, continuam por esclarecer os motivos que levaram a que aquele valor não tivesse sido tratado nem para efeitos estatísticos, nem inspecionado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG