Imposto sobre gorduras e açúcares em cima da mesa

António Costa referiu-se a "impostos especiais sobre o consumo que dependem de escolhas individuais"

Uma vez mais, os impostos sobre os alimentos com excesso de açúcar, sal e gorduras volta a estar em cima da mesa. O Jornal de Negócios avança hoje que o "fat tax" está na mira do Governo, tendo por base uma afirmação do primeiro-ministro.

António Costa referiu-se na segunda-feira, em entrevista ao Público, à probabilidade de existir tributação indireta no próximo ano. "Nos mesmos impostos que aumentaram no ano passado?", questionaram os jornalistas. E diz Costa: "Não sei. Pode haver outra tributação indireta. O país tem de fazer escolhas". E depois ainda sobre o mesmo assunto: "Há outros impostos especiais sobre o consumo que dependem de escolhas individuais: produtos de luxo, tabaco, álcool". Para o Jornal de Negócios, isso também se aplica a refrigerantes, fast-food, snacks... ou seja, a produtos nocivos à saúde.

Esta hipótese tem sido levantada inúmeras vezes. Há menos de um mês, foi noticiada a intenção de criar um grupo de trabalho com representantes do setor alimentar e dos consumidores para aplicação de um imposto indireto para produtos nocivos à saúde. Um recuo relativamente ao anúncio, em maio, de que o Governo iria introduzir uma taxa sobre estes produtos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG