Ikea vai devolver cerca de 500 mil euros ao Governo só de salários

Cadeia de retalho sueco ainda está a analisar a melhor forma de devolver o apoio recebido durante o confinamento. Já reuniu com Governo de António Costa.

A Ikea Portugal vai devolver cerca de 500 mil euros de apoios recebidos do Governo português, só na componente de salários dos colaboradores no período em que estiveram em lay-off. Portugal é um dos 9 países em que a cadeia está a negociar com os Governos o apoio recebido durante o confinamento.

Desde que o anúncio foi feito, em meados de junho, a Ikea já reuniu com o Ministério do Trabalho estando no entanto ainda a estudar a melhor forma de proceder à devolução do montante de apoio recebido. "A reunião já aconteceu (no passado dia 24 de junho) e neste momento as equipas técnicas estão a trabalhar na melhor forma de processar a devolução", adianta fonte oficial da cadeia sueca quando questionado sobre o tema pelo Dinheiro Vivo.

Em Portugal, onde tem cinco lojas, a Ikea colocou 65% dos seus trabalhadores em lay-off a 13 de abril, tendo garantido a totalidade das remunerações base dos colaboradores até ao levantamento deste regime, o que ocorreu a 12 de maio. Os restantes trabalhadores mantiveram-se a trabalhar para manter a funcionar o canal de vendas online da cadeia. Agora, já com as lojas abertas ao público e com o regime de lay-off levantado, a cadeia pretende fazer a devolução do montante de apoio recebido que ronda, só em salários, cerca de 500 mil euros.

"O valor, incluindo apenas salários, é de 474 mil euros (acresce a devolução da isenção de contribuições)", refere a cadeia. Bélgica, Croácia, República Checa, Irlanda, Roménia, Sérvia, Espanha e Estados Unidos são os restantes países onde a cadeia está a negociar a devolução dos apoios. A cadeia esperava quebras esperadas com o covid-19 de 70 a 80% das vendas, as registadas terão sido inferiores.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG