Há menos casas penhoradas. Mas Deco pede mais proteção

Em 2016 o número de imóveis penhorados desceu ao nível de 2011. Mas a Deco alerta que há casas penhoradas por pequenas dívidas.

Há menos casos de penhoras de imóveis em Portugal. Em 2016, o número desceu para níveis de 2011, o ano em que a troika chegou. A melhoria da situação económica do país e a redução da taxa de desemprego ajudam a explicar esta redução. Segundo dados do Ministério da Justiça, a que o Dinheiro Vivo teve acesso, em 2016 o número de bens imóveis penhorados em tribunais de primeira instância atingiu os 9581. Trata-se de uma descida de 4% face a 2015, ano em que se registaram 9982 execuções de penhoras de imóveis pelos tribunais. O valor fica abaixo dos 9612 de 2011, ano em que o país pediu ajuda financeira externa.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias