Há empresas no mercado imobiliário a comprar casas na hora

Modelo norte-americano de iBuyer já chegou a Portugal. Operadores garantem aquisição de imóveis num piscar de olhos. Por agora, só ativos de Lisboa e Porto estão no radar.

Surgiu recentemente no país um novo modelo de negócio imobiliário que fará sorrir muitas pessoas e aliviar outras. É explorado por empresas que têm a porta de entrada na internet e que se comprometem a comprar a sua casa em pouco mais de uma semana.

O potencial de clientes é vasto: desde proprietários que querem alienar rapidamente o seu imóvel para adquirir um novo a pessoas que necessitam de vender o ativo por questões relacionadas com divórcios, heranças ou mudança de local de emprego. O modelo apareceu há menos de uma década nos Estados Unidos, sob a designação iBuyer (o i significa instantâneo), e apresenta-se como uma solução fácil e rápida face ao processo tradicional, que é normalmente demorado, de venda de uma casa.

A Sell and Go assume-se como o primeiro iBuyer do mercado português e assegura que entre o primeiro contacto do vendedor e a escritura mediam apenas 10 dias. A empresa, que integra o universo da gestora de investimentos imobiliários na Península Ibérica FS Capital Partners, iniciou atividade em plena pandemia (setembro de 2020) e, desde essa altura, já analisou mais de mil propostas de aquisição, num valor médio de 190 mil euros, revela o diretor, Francisco Belard.

Para já, está só ativa na compra de imóveis nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, mas no horizonte está a expansão a outras localidades. Como diz o responsável, o mercado residencial em Portugal é composto por um elevado número de proprietários, na sua maioria cidadãos comuns, e "fechar um negócio em pouco mais de uma semana é muitas vezes o objetivo de todos aqueles que se encontram em situações de urgência".

Capital para concretizar estas operações parece não faltar. Segundo adianta, entre fundos próprios e financiamento externo, a Sell and Go tem "capacidade financeira para atuar de forma ativa no mercado e aproveitar todas as oportunidades que surjam".

Negócio a crescer

No último trimestre de 2021, chegou a iBuyer espanhola Tiko a Lisboa. Para já, só está a adquirir casas na capital, mas o plano a longo prazo é avançar para outras geografias do país, nomeadamente o Porto, diz Sina Afra, CEO da empresa. Tal como a Sell and Go, a Tiko também só está interessada em ativos residenciais, mesmo que necessitem de obras ou estejam ainda sob hipoteca. No entanto, a empresa espanhola só quer casas com uma área superior a 40 metros quadrados. O preço máximo que está disposta a pagar é 400 mil euros.

Mesmo com poucos meses de atividade no país, a empresa já tem uma carteira de vistorias de mais de meia centena de residências por semana e está a receber muitos contactos de residentes noutras geografias onde ainda não atua, mas que estão no radar, adianta o gestor. Para investir em Portugal nos próximos anos, esta iBuyer tem 30 milhões de euros, tudo fundos próprios.

A força da tecnologia

O processo para vender uma casa nestas empresas apresenta-se fácil e rápido e já há outras a operar em Portugal, além das mencionadas. É preciso entrar na página na internet da iBuyer e preencher um formulário onde são pedidas informações como localização do imóvel, características (tipologia, área, se tem garagem, cave, elevador...), caderneta predial, fotografias e contactos. Entre 24 a 48 horas, o proprietário recebe no seu email o valor que a empresa está disposta a pagar pela casa. E aí entra a força da tecnologia. Segundo Francisco Belard, a Sell and Go "conjuga modelos sofisticados de avaliação com uma robusta base de dados de transações efetivamente realizadas para determinar com precisão o valor de mercado da casa".

Na Tico, o processo é idêntico. Como revela Sina Afra, o negócio baseia-se na inteligência artificial. "Dispomos de um modelo de avaliação automatizado, chamado Tikoanalytics, que nos permite calcular preços muito ajustados para as casas que se encontram no mercado", sendo que para isso "são considerados três milhões de pontos de informação diária e inteligência artificial para os processar".

Caso o proprietário aceite o valor apresentado, as empresas avançam com as vistorias técnicas ao imóvel e a transferência da propriedade pode ficar fechada em sete dias, no caso da Tiko, ou em 10, pelas mãos da Sell and Go.

Contrapartida

O processo é simples e rápido, mas os proprietários têm de contar com um desconto no preço do imóvel face aos valores de mercado. Nenhuma das duas iBuyers revelou qual é o desconto que aplica. "A nossa proposta de valor é muito mais abrangente que um simples desconto no processo de compra", sublinha Francisco Belard, "incorporamos a mais-valia da rapidez e segurança na realização da venda, procurando encontrar com o vendedor um equilíbrio para a realização do negócio".

Já Sina Afra sublinha que as margens da Tiko "são muito pequenas, pois somos muito rápidos e podemos reinvestir o nosso capital várias vezes por ano para obter lucros".

Ao contrário da empresa espanhola, que também se dedica à venda de casas, a Sell and Go apenas opera na aquisição de imóveis, possuindo uma rede de parceiros para assegurar a posterior alienação.

sonia.s.pereira@dinheirovivo.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG